Poesias

A DOR DA SOLIDÃO

Escrever poesias, dar asas a voz do coração,

Jogar flores de amor em versos refreados

de paixão que pode até fazer chorar quem

nunca soube o que é estar apaixonado

 

Escrever com os olhos marejados de água

desvendar a alma que sente que o amor não existe

sentir que a tristeza tem uma boca grande, e

quer me engolir.

 

Ver o coração bater na pele frágil do pescoço

ver no espelho as têmporas latejarem por conter o choro.

Sentir as mãos frias, as pernas sem forças, os olhos fecharem

num adeus à felicidade...

 

Escrever quando se quer gritar...

Correr sem ter uma direção um lugar que possa desabar num choro

sem que te critiquem.

Tentar escutar o silêncio que leva a Deus.

Lembrar que tudo passa, mas que até que passe a dor pode matar...

 

Escrever e não postar, postar e esperar que não leiam.

Hoje um dia que a solidão tenta vencer minha paz,

a paz que se esconde em algum lugar do meu pequeno coração,

que já não sabe o que é sentir esperança.

 

Luly Diniz.

15/09/16.

 

 

 

 

 

 

Enviar-me um email quando as pessoas comentarem –

Para adicionar comentários, você deve ser membro de Casa dos Poetas e da Poesia.

Join Casa dos Poetas e da Poesia

Comentários

  • Edith, não sei onde ver o vídeo.

    Boa noite!!!

  • Grata por comentar Nieves Merino Guerra, um abraço.

    Beijos com meu afeto.

  • É ISSO AÍ Nina Costa, ISSO MESMO!

    Obrigada por comentar.

    Beijos com o desejo de um feliz domingo.

  • Boa noite Edith Lobato, vou ver sim.

    Obrigada!

  • Adm

    Oi querida, bela obra.

    Dê uma olhada no vídeo que Flávio fez pra você.

  • Sei bem o que é isso, amada Luly.

     Muito boa, amiga.

     Beijos

  • Obrigada SAM MORENO, não sei como ver uma partida de futebol aqui.

    Grata pelo convite,

    Luly

  • Seu texto é verdadeiramente uma dádiva as almas poéticas. Venha apreciar uma partida de futebol na minha página.

This reply was deleted.
CPP