Poesias

AINDA MENINA

Dizia ser poeta e escrevia
Em linhas tortas era a minha poesia
Versos rabiscados
Que nem eu mesma entendia...

Olhava o céu descrevia a lua
Sem ninguém para ouvir
Declamava meu verso
Fingindo viver no universo...

Escrevia e lia ninguém me ouvia
A noite sozinha chorava
Olhando as estrelas
Para elas implorava...

Faz com que minha poesia
Crie asas e possa voar
Até onde eu não possa chegar
Mas que ela possa brilhar...

Autoria- Irá Rodrigues

Enviar-me um email quando as pessoas comentarem –

Para adicionar comentários, você deve ser membro de Casa dos Poetas e das Poesias.

Join Casa dos Poetas e das Poesias

Comentários

  • Adm

    Brilhou, Irá! Brilhou tanto que criou pernas e ganhou o mundo. Lindo! Bjs

  • Parabéns, poetisa, poema lindo, primoroso... Abraços, paz e Luz!!!

  • Brilhante poesia, criou asas, alçou voo na sua imaginação e brilha com uma estrela cadente. Parabéns e aplausos mil pela excelente construção poética. Boa tarde querida amiga Irá Rodrigues! Beijos

This reply was deleted.
CPP