Poesias

Apologia

 

 

 

 

Apologia

 

 

Não recusarei
o fel da inconstância
este mesmo que abrasa
meu corpo e veste-me
do escarlate da imperiosa
luxúria.

Disporei meus atos no cadafalso
junto às emoções difusas
sendo acusada por má fé
onde bradam  fartas indignações,
mas sentirei as intensidades
do meu ser.

Nas letras que desposam as ideias
no poema contidas,
serão por vezes mais retintas
ao indicar minha perdição
num mundo tosco e mundano.

Serei errada eu,
ao caminhar por entre vivendas sem
cor, saborear sem mesura 
toda dor, ao buscar fragmentos
de vida?

Nas redes do tempo, não dormirei
todos sonhos belos e perfeitos,
eu, aqui sem culpa, os dispensarei.

Serei eu feliz assim?

Talvez.

 

 

 

Lilian Ferraz

 

 

 

 

Inspirado no belo poema "Ascese"

do poeta E. Rofatto

 

Enviar-me um e-mail quando as pessoas deixarem os seus comentários –

Lilian Ferraz

Para adicionar comentários, você deve ser membro de Casa dos Poetas e da Poesia.

Join Casa dos Poetas e da Poesia

Comentários

  • Muito bom Lilian! 

    • Olá Samuel

       

      Obrigada pelo carinho

       

  • Que linda peça, Lilian! E com que paixão o seu eu lírico se autoafirma nas ações e atitudes que desencadeia!

    Impossível ficarmos alheios a essa coragem de viver a vida segundo suas crenças próprias e seguindo vias que só quem tem o dom da vida dentro de si ousa percorrer!

    Seus versos configuram uma identidade abrasadora: ainda que se consuma na própria chama, experimentou a ardência de suas paixões que fizeram a vida pulsar mais intensamente!

    Personalidades assim arregimentam discursos acalorados tanto para as lisonjas como para as invejas, pois servem de um parâmetro que só a elas é dado alcançar. Desse modo, ou se derrama em amores, ou se ergue em difamações, diante de quem tem luz própria - ainda que seja a luz do incêndio em que se queima o cometa que atravessa o céu num rasgo de luz que se apagará brevemente  - mas a memória o resgatará como episódio de beleza ímpar!

    A destacar, ainda, as palavras incomuns que voc|ê distribui pelos versos e vão nos encantando pelo inusitado que nos surpreende. Todas elas, reunidas, vão formando um conjunto de imagens que se impõem com a força de uma lufada capaz de transformar centelhas em labaredas.

    Acho, Lilian, que num sentido inverso, seu eu lírico deixa-se dominar por intenção tão forte quanto a que sugeri no texto "Ascese" - por isso, acho que temo um belo exemplo de espelhamento invertido.

    Podemos formar um dueto? Eu apreciaria muito se você me permitisse formatar seu belo texto ao lado do meu

    Um abraço com muita admiração e gratidão!!

     

    • Oi  Edvaldo

       

       

      Fico extremamente lisonjeada com suas palavras e sua visão intrinseca do poema. Claro, que podes formar um Dueto, seria para mim, uma honra

       

      Muit grata

       

       

This reply was deleted.
CPP