Poesias

As Gêmeas

PERSONAGENS:
PATRÍCIA - sextetos ímpares
ANA PAULA - sextetos pares






Maninha, é livre a tarde,
então vamos ao cinema?
Faz tempo nós não saímos.
Vamos então sem alarde,
escolhemos um bom tema
e um filme que nós não vimos!
 
Menina, hoje não dá:
não te lembras que eu falei
do homem que eu conheci?
Hoje ele me esperará
pra noite que eu sonhei
e que ainda não vivi!


 
Estás assim saltitante,
só por teres compromisso?
Tu és uma cabeça oca!
Esse rapaz tão galante
não te falou dele "isso"
e já te beijou na boca!
 
Peço, não sejas careta
pois nas nuvens eu estou,
meu peito cheio de ardor!
Não se trata de veneta,
pois a convite hoje eu vou
pra uma noite de amor!
 
Não sabes o endereço,
nem sequer o sobrenome,
não conheces a família;
e isso é só o começo,
o tipo já vem com fome
e está me botando pilha!
 
Só sei o primeiro nome,
mas também não perguntei,
nem se mora em apartamento;
depois vejo o sobrenome,
mas eu de fato o amei
desde o primeiro momento!

Querida, tens que lembrar
que não existe o Cupido;
onde vai ser afinal
a noite que vais passar
com esse cara tão sabido,
que pensas vai ser legal?
 
Maninha, tu não entendes?
É com a mãe que ele mora!
Na casa dele eu não vou,
pois o que é que tu pretendes?
Ainda não chegou a hora
nem meu espírito ousou!
  
Na casa dele não é
e até entendo a razão,
mas isso causa temor.
Posso ser uma chata até
mas sou tua gêmea, então
conta pra mim, por favor!

 
Puxa, maninha, deveras,
por que estás tão zangada?
ele é doce como mel!
Tu não vens das outras eras,
deves estar informada,
pois nós vamos pro motel!


Tu mal conheces o cara
e já vais para o motel?
É sempre bom ser prudente!
A coisa não está bem clara,
motel não é lua-de-mel,
não deves seguir em frente!
 
Mas ele é gente tão fina
que me deixou encantada,
é cortês e cavalheiro;
o conheci na cantina
do clube, tinha balada,
meu amor é verdadeiro!


Mas dele não sabes nada,
sobrenome e endereço;
estás te precipitando!
Ficaste baratinada,
tua honra não tem preço,
no ar estás flutuando!
 
Minha irmã, estás querendo
de mim seres a mãezona?
Ele tem educação!
Precisavas estar vendo,
pôs-me na boca a azeitona
e uma rosa na mão!  



Mas se ele não vem aqui
e em casa dele não vais
onde é que vão se encontrar?
Não tens boca de siri
e eu fico aflita demais,
tens que me tranquilizar. 
 
 
É em frente ao restaurante
na praça da igrejinha,
o motel é ali pertinho;
nós comemos num instante;
mas não me sigas, maninha,
não flagres nosso beijinho!
 
Não te seguirei, prometo,
porque não sou fofoqueira;
mas prefiro que não vás!
Tudo isso é um espeto,
estás fazendo besteira,
depois te arrependerás!
 
Ainda estás insistindo?
Ficaste muito careta!
Tu és tão desconfiada...
Desculpa, mas já vou indo,
me beija e não  sê xereta,
não quero ir amuada!
 
O teu novo namorado
a meu ver é uma cilada,
muito dá pra suspeitar!
Pra ficar tudo aclarado
te deixarei amarrada
e vou lá em teu lugar!
 
Maninha, mas que doideira,
vais até me amordaçar?
Mas que bicho te mordeu?
Me prendeste na cadeira,
ao menos deixa eu ficar
com a rosa que ele me deu!

Deixo em teu colo então,
que os pontos eu vou ligar,
a verdade buscarei:
enquanto tens ilusão
espera aqui a sonhar
mas despertarás, eu sei!
 
Sou pequena vaga-lume
que vive mesmo a sonhar
e tu és bastante crua;
mas se for pra me dar lume
vais a verdade buscar,
mesmo a verdade bem nua! 
 
Até mais, reza por mim,
espero não demorar,
vou tirar tudinho a limpo:
esse é meu jeito enfim,
se o negócio é investigar
sei fazer um bom garimpo! 

Isso é loucura demais,
tu vais bancar que sou eu,
não temes dar um vexame?
Eu sei que somos iguais
mas afinal não és eu,
será que passas no exame?
 
Isso é problema só meu,
pois sou atriz sabes bem,
sei muito bem te imitar;
portanto quem vai sou eu,
fica quietinha meu bem
que é pra mordaça eu botar!

A mana pôs a colher,
mostrou ser tão corajosa,
nunca pude imaginar!
Ela é uma grande mulher
mas fico triste e chorosa,
e levou-me o celular!
 
E lá vou no elevador,
fico com pena, tadinha,
mas cumpro com o meu dever;
pois eu tenho um grande amor
pela querida maninha,
e ela vai me agradecer!

Eu aqui fico pensando
na diferença de cena,
que esta vida é uma charada:
podia estar namorando
ou ter ido no cinema,
em vez disso estou amarrada!

Afinal na rua estou,
vou cumprir minha missão
e irei até o fim;
ele a mana perturbou,
sei que é um espertalhão,
mas isso não fica assim!
 
Cansei de ficar à toa
presa há horas nesses nós;
tô com sono e sem ação...
a mana me fez da boa
mas sabem, cá entre nós...
acho que ela tem razão. 

Cheguei, já vou te soltar
e venho muito feliz,
e dando graças ao Céu:
sei que vais me perdoar
pela peça que eu te fiz,
trago provas a granel!

Que bom chegaste, maninha,
me solta, vou no banheiro,
prometo bem rapidinha;
depois me conta, irmãzinha,
quero tudo verdadeiro,
fiquei muito intrigadinha!

Vem cá, vou massagear
teu pulso e teu tornozelo,
coitada, te fiz sofrer;
mas foi pra te alertar,
perdoa pelo meu zelo,
tudo vou te esclarecer!

Então é mesmo verdade
que ele estava me enrolando,
mentindo para valer?
Desse eu não vou ter saudade
e nem vou ficar chorando
tristinha a mais não poder! 
 

Fazes muito bem, maninha
pois tudo o que ele queria
era abusar de você;
o cara é um almofadinha
que explora a mãe e a tia,
tem nome no SPC! 
 
Maninha, eu te agradeço
por tua dedicação:
tu trouxeste a mim a cura;
demonstraste muito apreço,
me amarraste pé e mão
e foste ver a figura!

Maninha, sabes que eu faço
de tudo para o teu bem
e faço de coração;
livrei-te de um embaraço,
pois eu sou mulher também,
salvei-te desta paixão!
 
Nunca pude imaginar
que pessoa tão gentil
pudesse ser um canalha;
ele soube me enganar,
mas que sujeitinho vil,
e tem tantos dessa igualha!

Tem muito homem malvado
e que gosta de mentir
pra iludir a garota;
pois o fraque era emprestado,
e a grande herança por vir
era mentira bem rota!

E esse homem me beijou
e tanto me garantiu
e seu carro era bacana;
interesseira não sou
mas possuo orgulho, viu;
não gosto de quem me engana! 
 
Minha univitelina,
tolinha não deves ser;
não vás em papo furado!
Ser ingênua é uma sina,
tu precisas aprender,
e o tal carro era alugado!
 
Me levou no restaurante
e deixou gorda gorjeta;
falava com voz de mel;
tinha dinheiro bastante,
no entanto tudo era peta,
e chamou-me pro motel!
 
É isso que ele queria,
e ia ser essa noite;
ias cair no alçapão!
Salvei-te bem de uma fria,
tu merecias açoite,
e o dinheiro era do irmão! 
 
 Maninha, eu peço perdão
por ter sido descuidada
e acreditar no engano;
não fui ver o tal ladrão
só por ter sido amarrada,
eu ia entrar pelo cano!

Nosso priminho do banco
já tudo me forneceu,
o cara é um vigarista;
tu te livraste de um tranco
pois ao encontro fui eu
conhecer o tal artista!

Que esperta que tu és,
não te deixas enganar,
tua inteligência é mil;
és a mulher nota dez,
eu quero a ti imitar,
sou tua fanzoca, viu!

Tu não tens culpa de nada,
tais tipos são atraentes:
a mulher é que é uma tola!
És bonita como fada
e muita emoção tu sentes
com inocência de rola!
 
É de custar tanto a crer
toda essa canalhice
saber que ele é casado,
complicado pra valer;
como tive essa burrice
de acreditar num tarado?
 
Mas eles são mestres nisso,
transformam vinagre em mel,
convencem sem mostrar prova!
Mas comigo não tem disso,
levou-me para o motel
e lá eu dei-lhe uma sova!
  
Ah eu fico aqui pensando,
minha irmã, tu és genial,
maninha melhor não há:
a cena tô imaginando,
mandaste-o pro hospital,
que ele não esquecerá!

Maninha, sabes, te amo,

por ti eu viro uma fera

não importa o que aconteça;
de ti eu nada reclamo,
só peço, com calma espera
um homem que te mereça!
 
És mana tão boazinha
que a quem eu venha a contar
provavelmente nem crê;
já fui bem castigadinha,
e agora pra relaxar
vamos comer o pavê!


Um pavê? Tu tá brincando,
uma “pizza” é melhor,
não vês que é de madrugada?
Minha pança tá roncando,
tu deves estar pior,
pois não se come amarrada!
 
Maninha, tu bem mereces
teu estômago forrar,
vou até fritar um ovo!
E agora não esqueces:
se eu outra vez aprontar
podes me amarrar de novo!


 
 
(19 a 22/3/2017)




(19 a 22/3/2017)

imagem pixabay
 

Enviar-me um email quando as pessoas comentarem –

Para adicionar comentários, você deve ser membro de Casa dos Poetas e da Poesia.

Join Casa dos Poetas e da Poesia

Comentários

  • Adm

    Parabéns pela excelente composição.

    Aplausos Miguel.

    Bela noite.

  • Miguel, tu sabes o quanto admiro este teu jeitinho meigo de escrever poemas, não sabe?!

    Existe uma magia que passeia lindamente por entre seus versos...

    Teu poema parece ter música!

    Adorei as gêmeas!

    Parabéns!

    Abraços saudosos!

    Beijinhos carinhosos em teu coração.

    :)

  • Belíssima criação poética! Aplausos! Bjs

  • Cursando mais uma vez esse exímio recinto, constato, com prazer, o inconfundível: tudo aqui contém as suas digitais, sua criatividade e seu talento.

This reply was deleted.
CPP