Poesias

Billings

Julgam sem   conhecer,

Julgam sem ter porque,

 As pessoas julgam sem ter razão

Para afagar dos teus dias a solidão.

Desconhecem a verdade

Na sacanagem buscam  o prazer.

E assim mascarando os próprios  medos

Despistando do mundo

A maneira fútil de viver.

 

São guardiões do medo

Mas  sabem enganar,

Seu pesadelo é viver soninhos

 Esta é a forma de amigos encontrar.

 

Invadem a sanidade das pessoas

No seu poscológico a viajar.

Desestabilizando aqueles que não têm

Necessidades de com a vida preocupar.

Doentes mentais, que na  vida de outros

Aparecem para atrapalhar,

As vitimas acreditam em defeitos inexistentes

Vindo seu estilo de vida querer mudar.

 

E lutando contra própria natureza,

O que procuram jamais haverão de encontrar.

Pois buscam algo dito como correto

Porém mais correto que já vivem não encontrará.

Lucas Hêrique

Enviar-me um email quando as pessoas comentarem –

Lucas Hêrique

Para adicionar comentários, você deve ser membro de Casa dos Poetas e da Poesia.

Join Casa dos Poetas e da Poesia

Comentários

  • Adm

    As ações do homem são para o homem com o único objetivo de satisfação própria. Os julgamentos acontecem mediante o olhar.

    Cada um carece de se policiar para não julgar o que não conhece, aparência não determina o quem sou.

    Parabéns!

    • Obrigado Edith, muita sabedoria em suas palavras.

  • A sanidade, hoje, é que está frágil demais. Reflexivo e belo texto. Aplausos! Bjs

    • Obrigado Marsoalex, fico feliz por ter gostado.

      Abraços.
  • A mesma qualidade existe em cada página frequentada.

    • Bom dia Sam Moreno.
      Alegro-me por tuas belas palavras.

      Felicidades, grande abraço.
This reply was deleted.
CPP