Poesias

COISA NORMAL

COISA NORMAL

Palavra, respeito lá no meu quintal
Eu sou pequeno não é questão
Os rigores do tempo brincar de adivinhação
Lápis de colorir com direito a atenção
Ser bem protegido, tratado com afeição.


Piam pintos no terreiro no penoso labor
Espalhado na roça a vida que desperta
Amassando o café de suave sabor
Pássaros contentes dará colheita certa
Segurança e estudar se faz calor
Morando sempre com caráter, bondade, alegria e amor

As palmeiras trabalhos da lavoura
Insiste em viver pegando a vassoura
O queixo levantado menino me dá a mão
Lírio crescendo sempre no meu coração
Dançando não quer solidão
Remexeis alegremente que grandão!

Palavra, respeito lá no meu quintal
Eu sou pequeno não é questão
Os rigores do tempo brincar de adivinhação
Lápis de colorir com direito a atenção
Ser bem protegido, tratado com afeição.
22:12, 16-03-2017, Jey Lima Valadares, Itagibá

Enviar-me um email quando as pessoas comentarem –

Para adicionar comentários, você deve ser membro de Casa dos Poetas e da Poesia.

Join Casa dos Poetas e da Poesia

CPP