Poesias

DESAPEGO

DESAPEGO

Porque a vida
Mostrou-me
Seu ritmo absoluto,
Já não me satisfaz
Postulado do mundo.
Quero alcançar a inefável
Harmonia regente de tudo,
Até de quem, a qualquer revelia,
For extravagante contrassenso
À disposição anímica de ser mero,
Ínfimo, desimportante até o cerne,
Para que, a seu tempo, venha saber
Que, do fim ao começo, se mais humilde,
No todo recompõe-se de modo mais imenso
Quem se aproxima de Deus, Que se apresenta só
Quando se profana a insustentável arrogância humana.
E, depois, nessa alta condição mínima, ter por mais bonita
Sua nova história se escrita por outra mão que não a própria
Para vivê-la com a aceitação dos que rejeitam qualquer presunção.

(E. Rofatto)

..................

Inefable.
.
Lo inefable se muestra
en el silencio de la mirada
profunda, dialéctica, encantada
desatando experiencias y certezas
que sabemos raramente comprendidas.
Ya no asusta la carencia ni la duda apasionada,
no nos mueve el temor blasfemo de otra increencia,
porque la Certeza desvanece por completo la inocencia
y la fe es solo eso: otra empinada y larga cuesta innecesaria.
Se hace piel en nuestra piel, sin ser locura, ceguera ni aislamiento
No es confianza en lo que dicen, cierta o incierta filosofía trasnochada
en parábolas , imágenes, cuentas y cuentos embebidos con parlanchines.
Es sencillo, es coherente. Es la Paz con el Amor y nos habita en los adentros
sin dudarlo, sin temores obsoletos ni acuciantes. Timoratos. Es sonrisa permanente.
...
Nieves Merino Guerra
07-09-2017

.......................................................................................................................................


(Deixo meu abraço e gratidão a Nieves, que muito me honrou fazendo parceria comigo

ao colocar o seu talento e a sua sensibilidade nesses versos de apurada sintonia.)

Enviar-me um email quando as pessoas comentarem –

E. Rofatto

Para adicionar comentários, você deve ser membro de Casa dos Poetas e da Poesia.

Join Casa dos Poetas e da Poesia

Comentários

  • Que lindo Edvaldo....Acho teus textos sempre tão inteligentes...Parabéns! Um abraço!

  • Abrir mão da presunção humana é um ato extremamente difícil, mas o reconhecimento de que é preciso nos desvencilhar de nossa arrogância já meio caminho andado para nos libertarmos daquilo não nos acrescenta nada. Versos maravilhosos! bjs

    • Grato, Marso! Sem dúvida, quando se tem humildade tudo se pode acrescentar sem o risco de soberba - esta, sim, a nos apequenar e subtrair. Bj!

  • Adm

    E aqui, eis-me novamente, diante de teu poema. Quantas coisas vamos juntando ao longo da vida e nos apegando, sofremos quando temos que nos desfazer de algo,, passamos anos e anos sem usar coisas que, no final das contas, percebemos que nenhum utilidade nos tem, mas prevalecesse o desejo de posse, talvez porque lá no fundo de nosso ser, desejamos que o outro nos perceba como alguém importante, e quanta presunção a nossa, pois esta é uma atitude de pura arrogância. Somente quando nos avaliamos e fazemos um balanço da nossas atitudes e, nos colocamos em estado de mudanças, trabalhando a humildade e dando mais ênfase às essência do que à materialidade é que começamos a nos sentir bem conosco e com o outro, no meio.

    Gostei demais do formato geométrico do poema.

    Excelente obra, Edvaldo.

    Parabéns e Destacado.

    • Grato, Edith! Sempre um prazer recebê-la neste espaço para trocarmos pareceres sobre os escritos - e, normalmente, a sua leitura é de uma acuidade admirável, como também os seus versos! O formato geométrico veio de uma intenção de começar com versos bem curtos e terminar  com versos longos, como um derramamento, um desmoronamento, um símbolo do que se vai destituindo. Bem como você disse, ao longo da vida, devemos nos colocar em "estado de mudança", e as experiências vão mudando os valores que atribuíamos ao que nos pertencia, a ponto de nos desfazermos de muita coisa, agora sem a anterior importância. Que só reste o essencial. É o que basta.

  • lindissimo o seu poema Edvaldo!!

    E a maneira como foi escrito...tipo escadinha, espetacular.

    Meus Deus..o que eu preciso aprender...perto de vocês sou tão pequenina.

    beijinho

    • Grato, Livita! Aqui na CPP, todos aprendemos, haja vista o quanto está a nos ensinar com as imagens e canções! Nós temos uma dívida de gratidão com você! Bem haja a você! Um beijo!

  • Fico realmente extasiada ao ler teus belíssimos versos!!

    E a melodia!!! Ímpar!! Graciosa!!! Faz-me viajar!!!

    Magnifico, Edvaldo!!! Parabéns!!!

    Aplausos mil!!!

    • Grato, Angélica! Não seria de mais eu me apropriar da sua fala para dizer o mesmo da sua poesia: "Fico extasiado ao ler teus belíssimos versos!"  É assim mesmo que me sinto também!

  • Inefable.

    .

    Lo inefable se muestra

    en el silencio de la mirada

    profunda, dialéctica, encantada

    desatando experiencias y certezas

    que sabemos raramente comprendidas.

    Ya no asusta la carencia ni la duda apasionada,

    no nos mueve el temor blasfemo de otra increencia,

    porque la Certeza desvanece por completo la inocencia

    y la fe es solo eso: otra empinada y larga cuesta innecesaria.

    Se hace piel en nuestra piel, sin ser locura, ceguera ni aislamiento

    No es confianza en lo que dicen, cierta o incierta filosofía trasnochada

    en parábolas , imágenes, cuentas y cuentos embebidos con parlanchines.

     Es sencillo, es coherente. Es la Paz con el Amor y nos habita en los adentros

    sin dudarlo, sin temores obsoletos ni acuciantes. Timoratos. Es sonrisa permanente.

    ...

    Nieves Merino Guerra

    07-09-2017

This reply was deleted.
CPP