Poesias

Fado do poeta

Oh! Amor divinal tu meu siso afeta

Rouba a razão me deixa em submissão

Procuro a esmo e não encontro remissão

Por que, é rival, minha desafeta?

.

Oh! Solidão que minha noite infecta

Rouba o sono sem minha permissão

Será que sofrer é minha missão?

Desejo por parceira uma ninfeta.

.

Oh! Esperança de vão mero poeta

Que implora por momentos mais felizes

Talvez, seja ele um triste dispoeta.

.

Oh!, Noites vis, cruéis, sim infelizes

E que assola sutil semipoeta

Acalente, proíba seus deslizes.

.

ILARIO MOREIRA

.

21/04/2017

Enviar-me um email quando as pessoas comentarem –

Para adicionar comentários, você deve ser membro de Casa dos Poetas e da Poesia.

Join Casa dos Poetas e da Poesia

Comentários

  • A solidão ela rouba nossos sentimentos que se afogam nas intensas dores do amor, poema lindo

    • Obrigado, poeta, pela visita e gentil comentário, grato, muito grato... Abraços, paz e Luz!!!

  • Belíssimo soneto, como sempre mais uma obra de arte da para sua coleção. Parabéns nobre amigo poeta Ilario Moreira pela realeza na sua construção sensível, mas criativa no tocante as rimas admiráveis. Aplausos pela excelente partilha. Bom dia!

    • Obrigado, poetisa amiga, grato pela visita e comentário gentil, bom final de semana. Abraços, paz e Luz!!!

This reply was deleted.
CPP