Poesias

Fado do poeta

Oh! Amor divinal tu meu siso afeta

Rouba a razão me deixa em submissão

Procuro a esmo e não encontro remissão

Por que, é rival, minha desafeta?

.

Oh! Solidão que minha noite infecta

Rouba o sono sem minha permissão

Será que sofrer é minha missão?

Desejo por parceira uma ninfeta.

.

Oh! Esperança de vão mero poeta

Que implora por momentos mais felizes

Talvez, seja ele um triste dispoeta.

.

Oh!, Noites vis, cruéis, sim infelizes

E que assola sutil semipoeta

Acalente, proíba seus deslizes.

.

ILARIO MOREIRA

.

21/04/2017

Enviar-me um email quando as pessoas comentarem –

Para adicionar comentários, você deve ser membro de Casa dos Poetas e das Poesias.

Join Casa dos Poetas e das Poesias

Comentários

    • Obrigado, poetisa amiga, sua visita é motivo de grande alegria, deixa-me envaidecido, sou seu fã. Abraços, paz e Luz!!!

  • Adm

    • Obrigado, poetisa amiga, sua gentileza é incomensurável, fico muito grato. Abraços, paz e Luz!!

  • Outro soneto de luxo, amigo. 

    La imagen puede contener: texto

    • Obrigado, poetisa amiga, pela visita, comentário gentil e destaque, a admiração é recíproca... Abraços, paz e Luz!!!

  • Bonito poema Ilario! Se há solidão, quer dizer que há amor... Abraço

    • Obrigado, poeta, grato pela visita e comentário gentil... Abraços, paz e Luz!!!

  • A solidão ela rouba nossos sentimentos que se afogam nas intensas dores do amor, poema lindo

    • Obrigado, poeta, pela visita e gentil comentário, grato, muito grato... Abraços, paz e Luz!!!

This reply was deleted.
CPP