Poesias

GOSTO ÁCIDO

Não quero o tédio da manhã igual.
Quero vida, emoções comovidas,
esperanças até o final.
Abandono lembranças,bagaços de poemas,
insatisfações acumuladas, 
a pia quebrada,
e o gosto ácido das madrugadas.

Sou mero viajante vital,
meio missa e carnaval.
Não quero a dúvida que transborda,
o medo do grito que acorda,
a privada entupida,
passagem só de ida,
neuroses escondidas.

Quero um dia complicado,
encarar o trânsito engarrafado,
me livrar, sair do outro lado,
inteiro ou machucado,
não importa o resultado.
O chuveiro tá gelado,
o cano furado.

Quero encontrar novas trilhas,
observar as cercanias,
me fartar de novidades,
experimentar dificuldades,
rir das adversidades,
quebrar o velho liquidificador,
remendar o cobertor,
ser pleno de contradições,
inventar orações
e pagar as prestações.

Eu quero...

                                            Paolo Lim

Enviar-me um email quando as pessoas comentarem –

Para adicionar comentários, você deve ser membro de Casa dos Poetas e das Poesias.

Join Casa dos Poetas e das Poesias

Comentários

  • Adm

    • Marsoalex: Sua generosidade me comove. Bjs.

  • Adm

    • Encantado com sua presença e comentários, Angélica. Muito obrigado. Bjs do Paolo.

      Angélica
      Onde o amor e a amizade se encontram em poesia
  • La imagen puede contener: texto

    • Nieves Merino Guerra: Amiga de longa data e querência, minhas reverências. Obrigado ! Bjs do Paolo.

  • Parabéns, poeta, poema lindo, maravilhoso, tem horas que eu também quero... Abraços, paz e Luz!!!

    • Ilario Moreira : Tomo seus comentários com alegria e humildade. Muito obrigado !

  • Adm

  • Um lindo poema, um aplena sabedoria que se vas nessas belas apalavras

This reply was deleted.
CPP