Poesias

Inquietude D’Alma.

Inquietude D’Alma

Autora: Geilda Souza de Carvalho

No meu interior, sinto-me oca e vazia...

Sem achar direção.

Busco encontrar uma solução, para meus problemas resolver...

Olho tudo em direções opostas e me vejo num buraco profundo... Sem saída...

 

Lágrimas rolam e machucam meu peito, perdi o sentido na vida.

Não sou mais nada... Penso na morte e não consigo conter-me.

Minha pequena estadia aqui já está chegando ao fim!

Tomarei meu rumo numa nova vida,

 

Recomeçarei em um outro mundo.

Meu corpo ficará debaixo da terra,

Novas quatro estações viverei...

Insetos e bichos irão penetrar.

 

Não sou nada, nem Ninguém!

Sentirás minha falta e de como dói a saudade também.

Chorarás por uns dias e me esquecerás com o tempo...

Amém!

 

E só te restará a lembrança dos seus erros fraudulentos!

Por isso deixo escrito de como você, para mim foi violento.

Herança maior eu deixo também pra você, fique atento...

Na Essência do meu amor, dedicação...

 

Contudo deveras te acalento!

Para ser um dia, quem sabe, levado ao arrependimento!

Geilda Souza de Carvalho

20 de maio de 2015

# Direitos Autorais Reservados.

Link de postagem:  http://atelliercarvalhopoemasepoesias.blogspot.com.br/search?q=inquietude+d%27alma

https://www.facebook.com/atelliercarvalho

 

Editado e Publicado: A RAZÃO DA NOSSA EXISTÊNCIA- PRIMEIRA EDIÇÃO:  2017

Lei nº 9.610, de 19 de fevereiro de 1998, que regula os direitos autorais

Enviar-me um e-mail quando as pessoas deixarem os seus comentários –

Para adicionar comentários, você deve ser membro de Casa dos Poetas e da Poesia.

Join Casa dos Poetas e da Poesia

Comentários

  • Bom dia para todos os meus amigos !

    Gracias pela leitura e apreciação do poema.

    Sim, triste sentir d'alma em meu ser e existência nesse plano.

    Com alma leve, meus versos componho seguindo minha caminhada pelas trilhas e obstáculos da vida.

    Ensinando e sempre aprendendo a cada dia mais, faminta pelo saber , que só me acrescenta e me faz ir além.

    Observando tudo e a mim, aparando minhas arestas , de outro também.

    Só espero estar aqui, por mais um tempo de viver,

    Intervalo entre o nascer e morrer!

    Para presenciar tudo de bom e de melhor para esse mundo que por muito anda desajustado!

    Mediante minhas certezas e convicções.

    Segurança em meu modo de pensar.

    Intervalo entre o nascer e morrer!

    Tempo suficiente para Viver e continuar amar!

    Falo do sentir amor da flor d'alma,

    Essa serenidade, que inquieta, e acalenta , acalma.

    Geilda Souza de Carvalho

    01/08/2017

    #D.A.Reservados .

  • Aquiete sua alma!!

    A vida, muitas coisas boas ainda nos reserva!!!

    Um triste-lindo-poema!!

    Aplausos e que Deus lhe abençoe!!!

    Amém!!!

    • Abraços poéticos de Fé !

      Amém!!!

  • Parabéns, poetisa, poema lindo, primoroso, adorei. Abraços, paz e Luz!!!

    • Amém!

      Igualmente para ti!

      Abraços.

    • Danke!

    • Sim, faz ir além , muito além alma!

      Obrigada pelo carinho,

      Beijinhos.

  • Gestores Adm

    Nossa, Geilda, a alma aqui parece bem mais que inquieta, parece esta dolorida.

    Te abraço!

    Bela noite.

This reply was deleted.
CPP