Poesias

"Meu corpo, cálice, recebe o teu vinho"

        


     "Meu corpo, cálice, recebe o teu vinho"

 

     Meu corpo, cálice, recebe o teu vinho

     Nas madrugadas às cegas em desalinho

     Meu corpo em chamas queima voraz...

     Saciando a sede da pele audaz!

                             ***

 

     Meu corpo em febre arde e s’expande

     Luxuriante... que s’estende...

     Feito cacimba aberta que escorre

     Gotejante...

     Preludiando... lábios bravios!

                           ***

 

     Meu corpo, cálice, recebe o teu vinho

     Transbordante...

     Sob risos nacarados que se perdem

     Voluptuosamente...

     Sob cheiros inebriantes:

                          ***

         Pele a Pele

         Boca a Boca

         Que se Bebe

       À noitezinha...

       Di’amando!

                                             Elzana Mattos

**********

 

Enviar-me um email quando as pessoas comentarem –

Para adicionar comentários, você deve ser membro de Casa dos Poetas e das Poesias.

Join Casa dos Poetas e das Poesias

Comentários

  • Belíssimo e sentido versejar, uma adorável construção poética recheada de muita sensibilidade. Parabéns nobre poetisa Ekzama Mattos. Boa noite!

  • Parabéns, poetisa, poema lindo, adorei. Abraços, paz e Luz!!!

  • Belíssioma poesia!

    Adorei!

    Abraços flor!

    :)

  • Pele com pele, corpo e corpo

    Os beijos acionando os lábios

    Sentirás por inteira

            Minhas mãos te acariciando

    Sentidos em loucura, gemidos os pés do ouvidos

     

    Por baixo aquele sensação insana

    O prazer esquenta, os  desejos fervem

    Os nossos beijos entrelaçam, em bocas se sentimos

    Nossos anseios se esfregando se amando

    Esse gostoso teso, faz se amor de todo jeito

    Nas delicias onde tudo fogosamente é feito

This reply was deleted.
CPP