Poesias

Meu espírito de carnaval

Salve os Unidos da alegria
Que nesse carnaval irão festejar
Mas são dos unidos da alergia
O melhor jeito de comemorar

Pode ser porque está com artrite
Ou apenas uma virose indesejada
Pode ser uma incômoda rinite
Ou até mesmo uma unha quebrada

O bloco mais animado chegou
São os que não gostam de folia
Pode parecer pecado nesse país
Possuir outra forma de alegria

São do grupo especial dos que não bebem
São da comissão de frente dos que não fumam
Os que sabem bem para que servem
As fantasias de pijamas que usam

Os acadêmicos do lá em casa
Convidam cada um para ficar na sua cama
Pedindo que acabe logo a algazarra
E que passe rápido essa semana

Nada contra essa grande festa popular
Mas pense se juntassem tudo lá no fim do ano?
Gastava nossa energia, dinheiro e tempo num único lugar
Penso que assim não ficava nada estranho

Imagine que louco o ano começar em janeiro
Normal como em quase todo o mundo
Mas aqui a diversão vem em primeiro
E se der tempo, a gente pensa no futuro

Mas se assim não é possível, oremos
Quem sabe um dia eu vá pular um pouco
Ou talvez desse milagre não esperemos
Não me imagino um dia estar tão louco

Mas a nossa democracia foliã é assim
Roma já dava pão e circo ao povo
Quem sabe quinta isso já tenha um fim
Para começarmos a trabalhar um pouco

Em todo caso, fiquemos com nossa alergia
Ou então espirrando com essa gripe
Pois ficar em casa seja nossa alegria
Mesmo que fazendo nada fique

Motivos não faltam para ficar na sua
Pois em casa nosso carnaval é melhor
Pois trocamos o barulho da rua
Para ficar de boa, tranquilo e só

Geovani Nogueira

Enviar-me um email quando as pessoas comentarem –

Para adicionar comentários, você deve ser membro de Casa dos Poetas e das Poesias.

Join Casa dos Poetas e das Poesias

Comentários

  • Muito bom, Geo! Na ilusão de viver, muitas vezes deixam

    morrer a dignidade, o bom senso, a reputação, a honra..

    Carnaval tornou-se um comércio, uma ostentação de um

    povo que vive a sua ruína. Pão e Circo para esquecer a

    realidade fome, a miséria em que muitos vivem! Muito

    reflexivo teu poema! Aplausos...

  • Adm

    Já chegou ao fim a diversão, hoje só existem as dívidas e as ressacas.

    Excelente poema.

    Parabéns!

  • Adm

    Meu poeta amigo. A até quando suporta uma sociedade nutrida de ilusões, de um pão milagroso que promete alimentar, mas, que não faz além de preencher o vazio de dúvidas, que não nutre e não faz crescer. Dê Pão e Circo ao Povo frase dita por Cezar, Imperador de Roma. O incrível é que essa frase tão antiga continua presente e atual na forma de alguns governantes fazerem política. Podemos observar que esses governantes procuram distrair a população com eventos, festas ou “inaugurações” fúteis que em nada contribuem para melhoria das condições de vida do cidadão.

    • Concordo com vc, Sam. Vivemos numa sociedade desigual onde os mais poderosos elegem suas prioridades em desconformidade com a realidade que vivemos.

      Agradeço o comentário.

  • Momentos que os políticos se aproveitam para votar aquela base somente deles, do povo nada

    José Carlos Ribeiro

    • Sim, os políticos aproveitam cada momento de festividade do povo para mexerem seus pauzinhos. Sempre assim.

  • Adm

This reply was deleted.
CPP