Poesias

MEU TÁLAMO É MEU TÚMULO

                                                                                                                           
É primavera! E o jardim
Completamente florido,
Afaga, aqui dentro em mim,
Meu coração dolorido.
 
O inverno se foi, enfim,
Sem nada ter resolvido,
E deixou-me bem assim:
Como se houvesse morrido!
 
O seu frio permanece,
Ferindo e fazendo acúmulo,
Meu coração não merece...!
 
Isso é, primavera, um cúmulo:
Ele fez, sem que eu soubesse,
Do meu tálamo, meu túmulo!
 
Ronnaldo Andrade
 
Enviar-me um e-mail quando as pessoas deixarem os seus comentários –

Para adicionar comentários, você deve ser membro de Casa dos Poetas e da Poesia.

Join Casa dos Poetas e da Poesia

Comentários

  • Final triste, mas muito lindo o seu soneto....

  • Expressivo e instigante poema!Meus Parabéns!!!Abraços

    • Obrigado, Lilian. Abraç

  • Maravilhoso poema, Ronnaldo.Parabéns!Bjs

    • Obrigado, Márcia. Abraço

  • Gestores Adm

    Belíssimo trabalho, Ronaldo. Meus aplausos.

  • Esplêndido soneto, Ronaldo. Aplausos! Bjs

    • Obrigado, Marso. Abraço

  • Boa noite poeta

    Tua poesia sempre  me encanta Ronnaldo

    Meus aplausos meu amigo querido

    Paz e luz sempre!!

    • Grato, Anna, pelas palavras. Abraço

This reply was deleted.
CPP