Poesias

Minha Face lavada


A minha pele será sempre pálida,

Não ouso sequer maquilhar-me,

Para quê fingir que sou ávida,

Se a terra vai comer-me a carne,

**

Os meus olhos continuam chorosos,

Chorosos de já não serem jovens,

E nos cantos tão rugosos,

Só se vêem certas miragens,

**

Engana-se aquele que encobre,

As marcas do tempo que passa,

Esquecendo que também morre,

Passando a ser uma farsa.

**

Assim quando eu partir,

Me dêem uma só cor,

Uma rosa na face a sorrir,

Para morrer digna de amor.

**

cristina Ivens Duarte-13-08-2017

Enviar-me um email quando as pessoas comentarem –

Cristina Ivens Duarte

Para adicionar comentários, você deve ser membro de Casa dos Poetas e da Poesia.

Join Casa dos Poetas e da Poesia

Comentários

  • Que lindo Cristina...mas triste!!

  • Lindo, querida amiga Cris! gostar ou não gostar de maquiagem é uma opção.

    Um grande abraço!

  • Nossa, que lindo Cristina....ADOREI!  Um beijo.

  • Ahhhh, minha xará, você tem o dom da poesia... Isso é notório.
    Ainda que em mim eu não goste de maquiagem, de batom, e batom vermelho que se vê de longe eu gosto.kkkkkk
    Acho bonito a mulher que sabe se maquiar e se maqueia com leveza e suavidade, mas eu não sei... E também prefiro meu rosto lavado.
    Beijos, portuga!
  • Pura verdade. A mulher pode maquilar os olhos, não o olhar; as rugas do corpo , não a essência da alma. Mas, em momentos especiais, sublimes, em que a alma sente-se alegre, embora em um corpo sofrido, vale a pena esconder do espelho, apenas dele, o estrago que o tempo causou. Linda poesia. Muitas reflexões.
This reply was deleted.
CPP