Poesias

NÃO PENSO, EU VEJO, EU SINTO...

Não penso, eu vejo, eu sinto...

 

Sinto teu riso quente no pescoço,

a me fazer sorrir como a ouvir piada,

de um carnaval de colombinas,

chorosas e apaixonadas por pierrôs

de mentes insensatas

 

Sinto... Choro; desencantada,

de rosto lavado nunca maquiado,

com gosto de sal na boca desdentada,

no frio da noite do coração deserto.

 

Esfrego o rosto melecado do beijo abusado

cheirando a farinha com mel; mel azedo!

A chamar em vez de abelhas zangões

para infernizar os infelizes anões...

 

Sinto tua barba babada, teu cheio de velho

tuas mãos enrugadas a querer meu corpo

felino cheio de curvas; malhado.

Sinto teu suor pegajoso me livro num sopapo.

 

Sinto o chão do meio dia no meio fio que se senta

a pedir numa palidez cadavérica o pão que sana a fome.

Sinto a raiva queimar no reverso do vento que venta

a engolir o velho tempo que faz seres sem nome.

 

 

Sinto e vejo o presidente coçar o saco

comer peru em vez de cuscuz ou rabanada

enquanto o povo é deixado as baratas aos cacos

sem saber onde fica Berlin ou Canadá.

 

 

Penso que não dizer nada é covardia... Ser palhaça

num picadeiro podre no meio da praça.

Vejo que aquela cabeça raspada não cursa faculdade

vai pra cadeia pagar por ter caído em desgraça.

 

Penso que a areia ensolarada é para bronzear o rico.

O povão se deleita na lagoa Rodrigo de feitas

a rir um dos outros feito bestas.

O rico embaixo da tenda com cigarro nas piteiras

o pobre no quadriculado ri triste das suas besteiras.

 

Luly Diniz.

06/09/16.

 

 

Enviar-me um email quando as pessoas comentarem –

Para adicionar comentários, você deve ser membro de Casa dos Poetas e da Poesia.

Join Casa dos Poetas e da Poesia

Comentários

  • Rui do Vale Paiva, agradeço suas palavras.

    Boa tarde!!

  • Obrigada Maria Angélica de Oliveira.

    Boa tarde, feliz dia!!

  • Agradeço a esta casa que me recebeu com afeto e carinho.

    Obrigada casadopoeta, vocês que administram essa casa de poetas e poesias

    estão de parabéns pela união e esse clima de generosidade.

    Um abraço a todos.

    Beijos!!!

  • Obrigada Frederico de Castro, grata pelas palavras,

    um beijo com meu afeto.

  • Obrigada Edith Lobato, um prazer ter seu comentário.

    Um beijinho no seu coração.

  • Obrigada Nieves Merino Guerra, pelo comentário e os aplausos, 

    Agradeço o destaque.

    Beijos!! 


  • Grata Marsoalex, um abraço com meu afeto.

    Boa tarde!!

  • Sem palavras, Luly.

     Mais que bom.

     Meus aplausos.

     Se os poetas- escritores de todos os generos - não somos testemunhas de nossas épocas , ninguém mais o fará.

     São pessoas como você os que consiguen que o nosso mundo melhore.

     Por favor, nunca deixe de fazer-lo, e difunda.

     Bravo

  • Adm

    Pois é Luly, a massa é a maioria e por ser a maioria é quem elege os governantes, então o problema esta na massa é a massa quem precisa de uma nova leitura deste panonorama que se descortina à nossa frente.

    Maravilhosa composição.

    Destacado.

This reply was deleted.
CPP