Poesias

Percussão dos silêncios

A grafia dos meus versos aportou
Um sonho trajado a rigor
Sonorizou o maleável silêncio
Ironia
Gargalhada
Lamentação
Imitativo de um eco cheio de fulgor
Calafrio, fragor, grunhido de ostentação
Percussão ou vaia de um eco
Reverberando de contestação

A gramática é fonte fonética dos
Cânticos semânticos
Estilismo descritivo, pleonasmo minucioso
Na morfologia sintática da minha retórica
Poética
Onomatopeia elegante gritando em alegorias
E letras que se vinculam em cada estrutura
Verbal invadindo minhas metáforas em metástases
Calibradas com tamanha simetria

Este é o meu caleidoscópio literário
Entre risos e hipérboles selectivas alimento
A sinestesia dialética da voz activa, anáfora dos
Sentidos assente num diálogo explícito, reflexivo
Aconchegando a simbiose dos prazeres excêntricos
Catalisando o acústico desejo bailando entre ritmos
E percussões de um clímax linguístico frenético e quântico

– ao Ciro meu filho

Frederico de Castro

Enviar-me um email quando as pessoas comentarem –

Para adicionar comentários, você deve ser membro de Casa dos Poetas e da Poesia.

Join Casa dos Poetas e da Poesia

Comentários

  • Adm

  • Estou aqui aplaudindo mais essa belíssima composição.

  • La imagen puede contener: texto

  • São palavras que vem da boca das poesia escrita por sabedoria que grita as verdadeira magias, poema impecável

  • Parabéns, poeta amigo, passei para me deleitar na beleza dos seus lindos versos, compostos com toda maestria e talento... Abraços, paz e Luz!!!

    • Obrigado pela visita amigo Ilario

      Bem hajas

      FC

  • Rica inspiração, Frederico! Os versos realmente, se vestiram a rigor e nos deram um banho de gramática. Aplausos! Bjs

  • Frederico, gosto muito deste teu jeito único de escrever!

    Encanta-me!

    Abraços poeta!

    :)

    • Grato pela visita Elaine

      Votos de dia feliz

      FC

This reply was deleted.
CPP