Poesias

Teimosia

Teimosia

 

Caminhei sem rumo por entre sombras

senti a solidão assolar o meu Ser.

Adentrei em minh’alma desolada pela dor,

pelos caprichos de um coração apaixonado

que prefere sofrer calado e não voltar atrás.

 

Mergulhada em meus fracassos,

Fiz dos pensamentos minha oração

E agonizei num silêncio mórbido,

 por não saber pedir perdão.

 

Recordei primaveras, onde o amor

exalava perfume de rosas em jasmins

Senti quão bom era  ter a esperança

cravada nos sonhos, hoje, pobre de mim...

 

Esse sofrer que me acompanha

num breu de eterna saudade

impede qu’eu amoleça o coração

e te abrace, oferecendo perdão,

para  provar novamente a felicidade.

 

Impulsionada pela teimosia 

palmilho sozinha por esta estrada fria.

 

Márcia A Mancebo

 

Enviar-me um email quando as pessoas comentarem –

Para adicionar comentários, você deve ser membro de Casa dos Poetas e da Poesia.

Join Casa dos Poetas e da Poesia

Comentários

  • Linda tela poética, Márcia! Bjs

  • Parabéns, poetisa, poema lindo, cheio de saudade... Abraços, paz e Luz!!!

  • Olhos que choram uma dor, uma alma que sofre por amor.  lindo poema

  • Belíssimo e sentido poetizar, versos de pura magia e muita inspiração. Encantada com seu poema. Parabéns e Aplausos Mil! Boa tarde nobre poetisa Márcia A. Mancebo!

This reply was deleted.
CPP