Adm

>CRISTINA MARIA – CARA A CARA COM SAM<





SAM MORENO
CRISTINA MARIA AFONSO IVIENS DUARTE
 
Primeiramente, Cristina, muito obrigado por nos conceder esta entrevista.
Para começar, que tal você falando um pouco da sua árvore genealógica.
Além do mais, quem é CRISTINA MARIA AFONSO IVIENS DUARTE?
 

Boa tarde amigo Sam! Desde já gostaria de lhe agradecer, ao fato de ter sido convidada,
a participar nestas suas ilustres entrevistas. Respondendo à sua pergunta, sou uma das cinco filhas de Franklim Ivens e de Maria Manuela Iviens.


Nasci em Lisboa, mas regressei a Angola, pois meus pais possuíam lá todos os seus bens. Algumas fazendas de sisal e café. Numa das suas viagens de negócios à Metrópole, meus pais foram abençoados com o nascimento de duas gémeas.

Sem saberem, pois nesse tempo ainda não havia recursos para que eles estivessem preparados para tal milagre.
Então, nasceu primeiramente a minha irmã gêmea, na qual lhe puseram o nome de Magda, 
e o meu nome surgiu um quarto de hora depois, escolhido à última da hora.

1- Como você se encontra psicologicamente para essa entrevista?
Eu encontro-me tranquila, na paz dos meus 51 anos, na alegria, e na felicidade,
na companhia do meu esposo e filho.

2-Como você descobriu seu interesse pela literatura? Desde muito jovem que a poesia me fascina, e ler, dá-me uma paz de espírito. Deixo-me envolver, e passo a fazer parte de todo o enredo. Então, durante a leitura, eu estou a sonhar acordada.
Tomei o gosto e nunca mais parei! Adquiri um hábito capaz de me alargar os horizontes, para eu nesta vida, ser capaz de por à prova toda a minha sabedoria.

3- Suas ideias vêm de onde para compor seus textos?
As minhas ideias vêm da minha imaginação, são tudo invenções minhas, não busco ideias
em livros que li, neles aprendo apenas como melhorar a minha escrita, e nem tento imitar nenhum escritor. A imaginação vem do facto de eu exercitar o cérebro, ler por vezes mais que um livro ao mesmo tempo, aumentando a minha criatividade. 
Assim se aprende muito a escrever um texto, seja ele de amor, alegria, tristeza, e até de humor. Adapto-me bem às situações que me são propostas.

4- Como chegou ao seu estilo?

O meu estilo de escrever, tem muito de mim mesma, tem tudo a ver com o que lhe citei na pergunta anterior, acho-as muito semelhantes, não queria estar a repetir mas, todos nós somos únicos, até eu sendo gémea verdadeira, tenho diferenças da minha irmã. O simples facto de sermos criados em ambientes diferentes, com costumes distintos, nos torna seres com personalidades muito próprias.


5- Você é seu grande crítico?
Claro que sou! Eu sou a primeira pessoa a avaliar aquilo que escrevo.
Quantas vezes me disseram, porque apagaste aquele texto, estava tão bonito!
Primeiro que tudo, tenho de ser eu a gostar de ler, sentir que vou agradar, e que quem vai ler, vai sentir o mesmo que eu. Afinal eu vou ser a primeira pessoa a ler-me, a julgar-me.
Quando eu deixar de o fazer, então não estou a ser crítica, e esta é construtiva, leva-nos a melhorar, a emendar.


6- Quem são seus grandes mestres e o que te inspira em cada um deles?
Vou citar apenas dois que me inspiram muito. A Florbela Espanca, aonde a sua poesia tem a tristeza bem marcada, dou o exemplo do poema “Fanatismo”. Claro que não podia esquecer do ilustre Luiz Vaz De Camões, aonde ele mostra também, toda a beleza e a tristeza dos amores perdidos, daqueles que ficaram em terra durante as descobertas.
Esta forma de demonstrar amor e tristeza ao mesmo tempo, não se aprende, nasce com a gente, e é isto que me inspira.

"Fanatismo",
Minh'alma, de sonhar-te, anda perdida.
Meus olhos andam cegos de te ver.
Não és sequer razão do meu viver
Pois que tu és já toda a minha vida!

Não vejo nada assim enlouquecida...
Passo no mundo, meu Amor, a ler
No mist'rioso livro do teu ser
A mesma história tantas vezes lida!...
"Tudo no mundo é frágil, tudo passa...
Quando me dizem isto, toda a graça
Duma boca divina fala em mim!

E, olhos postos em ti, digo de rastros:
"Ah! podem voar mundos, morrer astros,
Que tu és como Deus: princípio e fim!..."

Florbela Espanca

“ Alma Minha gentil, que te partiste”

Alma minha gentil, que te partiste
Tão cedo desta vida descontente,
Repousa lá no Céu eternamente,
E viva eu cá na terra sempre triste.

Se lá no assento Etéreo, onde subiste,
Memória desta vida se consente,
Não te esqueças daquele amor ardente,
Que já nos olhos meus tão puro viste.

E se vires que pode merecer-te
Algũa cousa a dor que me ficou
Da mágoa, sem remédio, de perder-te,

Roga a Deus, que teus anos encurtou,
Que tão cedo de cá me leve a ver-te,
Quão cedo de meus olhos te levou.

Luís Vaz de Camões.

 

7- Sua infância e sua adolescência?
A minha infância foi passada até aos nove anos em Angola, aí fui muito feliz.
Depois tive de retornar a Portugal no 25 de Abril.
A revolução foi traumática para mim, pois meus pais tiveram que fugir de Angola,
pode-se assim dizer, deixar lá tudo.
Chegamos a Lisboa, com uma mão à frente e outra atrás.
Foi muito difícil começar uma vida de novo.
Claro que isso trás consequências muito dramáticas, quer na nossa vida,
como no nosso desenvolvimento e estrutura psicológica.
Acabaremos por nos tornar em pessoas revoltadas.
 

8- A sua fé ou, sendo mais direto, a sua religião?
Amigo Sam! Eu não fui educada para seguir nenhuma religião.
Essa questão nunca foi posta no meu lar. Apesar de eu ter tido uma educação muito rígida,
a palavra igreja nunca me foi incutida no cérebro.
O que sei, além de milhares de outras coisas, foi a minha ânsia de querer saber.
Então, a fé Cristã, me tem dado respostas, me mostrando caminhos mais fáceis para eu caminhar nesta vida.
É a Deus que eu peço ajuda.

 

9- O que é ser palhaço para você?
- Depende do contexto. Se eu estiver num circo, o palhaço é aquele que me está a fazer divertir, simplesmente com o ato de fazer palhaçadas.
Mas também há aqueles palhaços, que se julgam terem graça, e não têm nenhuma.
Depois há os palhaços, que enganam e destroem os sonhos de alguém, fazendo-se passar
por quem não são.

10- Um prato que você detesta?
Eu gosto de tudo, claro que mais de uns, do que de outros, mas detestar mesmo,
só de porrada.

11- No futuro, será mesmo possível fazer sexo por meio de aparelhos sensoriais?
Claro que sim, acho que já se faz sexo até mais facilmente, sem ter que esperar esses aparelhos. Se faz sexo, lendo pornografia, por internet, expondo cada vez mais um ato que deveria ser bem reservado.
O sexo está-se a tornar numa palavra suja e porca, devido à forma como é exibida.

12- Os negros, brancos, índios, homens, mulheres, homossexuais, bissexuais, assexuados
e heterossexuais possuem o direito de serem respeitados como todo ser humano — e de respeitarem também?
Claro que sim, cada um escolhe a vida e o rumo que quer.
Devemos respeitar as escolhas dos nossos irmãos, independentemente da cor, raça, ou sexo.
Todos somos filhos de Deus, quem não se encaixar, só tem de se afastar e não descriminar.
Afastar de uma forma inteligente, sem magoar, nem destruir a autoconfiança de cada um.

13- Quais os peixes que estão quase a desaparecer ou são muito infrequentes?
Por enquanto ainda não há peixes infrequentes, pois a lei das pescas, previne que isso não aconteça. Todo o peixe tem um tamanho especifico para ser pescado, tudo o que vem à rede, e é abaixo do tamanho que foi decretado, volta a ser entregue ao mar. Isto faz com que não se pesque peixes em fase juvenil, mas sim em fase adulta, evitando a sua extinção. As quotas de pesca também foram decretadas. Só é permitido pescar um certo numero de toneladas, e em áreas circunscritas. Mas digo-lhe de fonte segura, que a “sardinha” é um dos peixes que mais se teme em desaparecer. É uma iguaria em Portugal, Espanha, a sua procura é estrondosa.


14- Todo mundo é bom o suficiente desde que vá atrás?
Acho que não amigo SAM! Nem todo mundo é bom, mesmo que se vá atrás dele, procurando insistentemente, aquilo que a gente quer. Somos por natureza seres insastisfeitos, querendo sempre mais e mais. Ás vezes, essa procura, nos torna em pessoas ganaciosas, invejosas, procurando ter sempre mais do que o próximo. Aquele ditado de quem procura, sempre alcança, não passa de uma ironia. Tantos procuram, e nunca alcançam coitados, e aqueles que encontram, perdem pelo caminho certos valores , que eu prefiro preservar, do que passar por cima seja lá de quem for. Há coisas na vida, que nem merece a pena a gente lutar. Perfiro ficar com o razoável, e feliz, do que com o muito bom, e infeliz.


15-Você considera a caça submarina como caça ou como pesca?
Considero que seja a mesma coisa. Caça, ou pesca subaquática. Uma atividade que consiste na caça de espécimes aquáticos, utilizando técnicas de mergulho. Pode ser praticada como desporto de aventura, utilizando a técnica do mergulho livre, ou seja em apneia, ou caça industrial, utilizando-se o mergulho autônomo(equipamentos que permitam a respiração subaquática).

16- Como você determina se alguém é suicida?
Um suicida nunca diz que se vai matar!
Ele costuma ser um solitário, sempre muito isolado, demonstra certas psicoses, com tendências de se automotilar. A sua conduta é dramática, insensível á dor do próximo.
Normalmente sofre de alterações de humor extremas.
Se sente muito só, mesmo estando acompanhado.
Seus níveis de ansiedade são elevados.
Exibe sinais de vergonha e humilhação.
Profere frases que incluem alguns indícios verbais:
Por exemplo- A vida não vale mais a pena, ou nada mais importa.
………………..-Estou tão solitário, que queria morrer.
………………..-Ninguém me entende, ninguém se sente, como eu me sinto.
O maior potencial para o suicídio, não é quando se está no fundo mas, quando se mostra melhorias, quer dizer que está feliz por ter conseguido arranjar um estratagema para dar cabo da vida.

17- Poesia é a demonstração da linguagem, arte de instituir imagens, emoções e sentimentos?
Sim, a poesia é uma das sete artes tradicionais, pela qual a linguagem humana é utilizada. Ou seja, ela retrata algo em que tudo pode acontecer, dependendo da imaginação do autor, como do leitor. A arte de poetizar, exprimindo o que está dentro de nós.


18- O que induz o aumento da fome e miséria nos países subdesenvolvidos?
Atualmente podemos nomear uma série de possiveis causas. As desigualdades socias,
estão bem latentes em todos os paises do mundo mas, nos países que figuram como subdesenvolvidos, essas questões são mais acentuadas e de fácil percepção. É comum nas sociedades capitalistas, o incremento de bolsas para combater a pobreza. Porém esses valores são mal distribuídos. O baixo índice de escolaridade, também é um fator que está ligado aos baixos recursos financeiros. Crianças em idade escolar são obrigadas a integrar no mercado de trabalho, para contribuir na renda familiar. Posteriormente, serão adultos com baixa escolaridade, e dificilmente entrarão no mercado de trabalho. Assim, irão trabalhar em empregos que exigem baixa qualificação, e oferecem baixos salários. Outro fator , é a residência. A população dos países subdesenvolvidos, habita em residências que se encontram em lugares marginalizados, desprovidos de infra-estruturas de serviços básicos(pavimentação, esgotos e água). A fome e a desnutrição também atinge grande parte da população, resultando em problemas de saúde. Tudo isto eleva a mortalidade infantil, e compromete a elevação na expectativa ou esperança de vida da população, principalmente dos excluídos.

19- Os homens são como bananas... Quanto mais envelhecem, ficam menos duras?
Ou são como fotocopiadoras... Servem para a reprodução. Qual é o seu julgamento?
Acho muito triste essa afirmação! Cada um de nós, sendo homem ou mulher, manteremos as nossas funções até ao fim das nossa vidas. Com várias limitações é certo, mas nunca devemos de ser descartados, usados e deitados fora. Presentemente, a mulher não precisa do homem para reproduzir mas, sim de um companheiro para a vida. Milhares de mulheres que não pretendem ser Mães, e no entando ambicionam ter um companheiro. Há muita maneira de tornar uma banana mais dura, e a poesia encaixa aqui na prefeição. É uma questão de imaginação.

20- Para impressionar as incautas muitos homens costumam mostrar poesias que eles rabiscam sem o dom das letras, com a intenção de deixa-las caidinhas por deles, você acha que isso funciona? Infelizmente para muitos funciona! Várias são as técnicas de seduzir, e aqueles ou aquelas que se encontram fragilidades(as), são presas fáceis.
Tenho muita pena que isso aconteça.

21- Você procura atingir o publico feminino ou masculino com suas obras literárias?
Eu não procuro atingir nenhum público especifico, nem faço da escrita meu modo de vida mas, meu meio de descontração.
Não tenho nenhuma obra literária publicada, nem nunca foi essa a minha intenção.


22- Os brasileiros ainda preferem manter a tradição quando questionados sobre assuntos considerados tabus, ou polêmicos. Os Portugueses também preferem manter a tradição?
Penso que vocês que são um povo mais aberto que os portugueses, livres de preconceitos, mais alegres, amistosos. As características estão bem marcadas por Portugal inteiro. Acho que os portugueses imitaram e copiaram os brasileiros em muita coisa. O vosso carnaval é considerado um dos melhores do mundo, o famoso bikini brasileiro , revolucionou as praias portuguesas, as telenovelas brasileiras também são uma grande paixão. Temos o Brasil marcado em cada cantinho de Portugal, eu amo vocês.

23- Dizem que os lusitanos têm 365 receitas de como preparar o bacalhau, uma para cada dia do ano você confirma ou desmente? É uma forma de se dizer que o bacalhau está nas mesas portuguesas em qualquer época, sem precisar de ser festiva. Claro que nas vésperas
de Natal, o bacalhau não pode faltar nunca. Dada a sua vastidão se criou mil receitas.


24- Os repugnantes ataques às crianças através da internet preocupam pais e autoridades. Como impedir a exposição de crianças a uma ameaça em potencial que ronda os lares?
Olhe, eu tenho um filho de treze anos, e isso me preocupa bastante. À que estar alerta permanentemente. Além de alertarmos os nossos filhos, os pais também precisam de ser instruídos sobre esse grande problema. Hoje em dia existem técnicas informáticas, que nos permite bloquear essas tais invasões. Controlar as horas de exposição no pc, e não permitir que uma criança de tenra idade tenha acesso a determinados acessórios. Para tudo na vida tem de haver regras.


25- Um olhar pode revelar muitas coisas, inclusive, o que se pensa, naquele momento íntimo na alcova? Claro que sim! os olhos também falam. Não é por mero acaso que um relacionamento começa com um simples olhar. Os olhares se encontram e revelam o que se pretende.


26- Cito aqui alguns Deuses, Atégina, Ares Lusitani, Endovélico, Mars Cariociecus. Ajude-nos a conhecê-los melhor! Qual é a sua empatia com esses Deuses da mitologia portuguesa?
Atégina é a deusa do renascimento(primavera), ligada à fertilidade e à cura na mitologia lusitana. Viam-na como uma deusa lusitana da lua.
Ares Lusitani, era o deus dos cavalos e cavaleiros na mitologia lusitana, ao qual eram sacrificados animais, como carneiros e cavalos.
Endovélico é uma divindade da idade do ferro, venerada na Lusitânia pré romana.
O deus da medecina e da segurança de carácter. Endovélico tem um templo em São Miguel da Mota, no Alentejo. Em Portugal existem numerosas inscrições e ex-votos,
dedicados a ele no Museu Nacional de Etnologia. O seu culto subreviveu até ao século v.
Mars Cariocecus era o deus da guerra na mitologia lusitana. Os lusitanos praticavam sacrifícios humanos aos deuses. Eles examinavam as entranhas e as veias do lado da vítima. Também praticavam a adivinhação através dos órgãos vitais de vítimas humanas, prisioneiros de guerra, que eram cobertos após serem cortados os seus órgãos vitais pelo adivinho, faziam augúrios pela forma com a vítima caía. Também cortavam a mão direita dos prisioneiros e ofereciam aos Deuses.

Se quer que lhe diga, eu não tenho qualquer empatia com nenhum destes deuses, não passam de crenças utilizadas antigamente, para dar resposta aos fenômenos que aconteciam.
Claro que fiz uma pequena pesquisa, para relembrar um pouco de cultura geral, kkkk.

27- O que você faria se encontrasse a poetisa NIEVES no seu quarto...
Vestida como o seu lingerie?
Veja bem no que você me foi meter!! Ora, eu estaria então no meu quarto com o meu marido, e a amiga Nieves entra vestida com a minha lingerie. O que eu faria primeiro, era perguntar-lhe se tinha perdido alguma coisa. Depois analisava as suas intensões atravez da sua linguagem corporal. Eu , como sou cabra velha, rapidamente me apercebia das suas insinuações. Então tirava logo a conclusão de que ela estaria interessada numa orgia.
A minha primeira atitude a tomar, era pô-la fora do meu quarto. Lamento muito querida Nieves, mas fazer parte de orgias, não encaixa nos meus fétiches. Perdoa-me querida, kkkkkkkkk…beijos para ti minha amada.


28- A linguagem erótica é essencial para que os cúmplices consigam comunicar o que estão sentindo, o que almejam e também o que não gostam?
Claro que sim, sem essa comunicação, não se sabe do que se gosta, não se conhecem um ao outro, pois tanto o homem como a mulher têm o dever de dar prazer a ambos. Dado que a fisionomia da mulher é diferente da do homem, há pontos no corpo da mulher que dão mais prazer do que noutros. Havendo outros também que lhes são menos confortáveis. Com o homem se passa a mesma coisa.. não sendo do agrado de ambos, à que respeitar, pois o amor supera tudo.

29- Qual o elogio que uma mulher adora receber?
As boazinhas não têm defeitos ou não têm atitude?
Olhe, eu não gosto de nenhum destes, nenhum se encaixa como sendo um elogio.
Não ter atitude é não ser dingna daquele comportamento.
Todos nós temos defeitos e mulheres boazinhas não existem, essa boazinhas são os homens que lhe poêm esse nome(depende do que quer dizer com boazinhas)
Resumindo, um elogiu para mim, é simplesmente dizer:”Minha querida, o teu cabelo hoje cheira a flores” ou então..”Acordo sempre cheio de sede de te ver.”

30- Pregado caxuxo na feneca o pargo mulato deseja sêmola!
Por favor, não ria da rima pobre rs rs rs.
Explica pra gente o que é pregado, caxuxo, feneca, pargo mulato e sêmola?
Cristina isso daria um bacanal? Como séria um delicioso bacanal feito por você?

O pregado tem um corpo achatado, com uma pele áspera de cor esverdeada.
A sua carne é bastante firme de cor branca. É um peixe de muito valor comercial,
sendo por isso , para as carteiras mais recheadas. Come-se de todas as maneiras.
A faneca é um peixe pequenino que não passa das 300gramas, e que serve para fritar.

É acessível a todas as carteiras. Temos o caxuxo, de cor vermelha, também pequeno, servindo para fritar, tanto a faneca como o caxuxo têm muitas espinhas. Pargo mulato e sêmola, são peixes que podem atingir até 20 ou mais kilos. Pode-se vender à posta para cozer ou assar. Os que têm apenas 1 a 3 kg vendem-se inteiros. O pargo mulato tem uma pele castanha, já o sêmola, é rosa claro mas, é um peixe mais seco.
O bacanal que você diz, seria mais o termo de “ Caldeirada”, que é uma mistura de vários peixes, estufados, numa cebolada de tomate com pimentos, alguns mariscos de casca grossa, como ameijoa, ou berbigão. Por cima se colocam umas batatas ás rodelas e vai ao lume tudo a frio, cozinhar lentamente, até estar cozido, com o pormenor de não deixar desfazer o peixe. No fim, não pode faltar o famoso ramo de coentros.
Direitos de autor-Cristina Maria Ivens.


31- Qual a sua definição de beleza?
A beleza para mim está relacionada com o interior da pessoa.
O que me atrai, são as suas características psicológicas.
A beleza exterior, tem um prazo de validade.

32- A fadista Amália Rodrigues ou a música romântica de Tony Carreira?
A Amália Rodrigues , sem sombra de dúvidas!

33-Já sentiu vontade andar de carruagem?
Ser a Cinderela, que recebe ajuda da fada para ir ao baile do príncipe?
Não, mas já me senti a” SUPRE MULHER”.

34- Músicas e jogos satânicos contribuem para um comportamento destrutivo? 
Claro que sim! Tudo o que nos rodeia, faz parte das nossas vidas,
influência na estrutura da nossa personalidade.

35- Você considera que a cozinha é um laboratório de alquimia de cozinheiras e mestres-cucas. Nela, abrimos as portas da percepção e criamos o que nos sustenta, a todos os níveis?

Com certeza, cozinhar é uma arte também, nela transferimos todas as nossas emoções e descobrimos sabores que nos fazem explodir. Se cozinharmos com amor e carinho acaba por se transformar em poesia. Vamos experimentando e misturando novos ingredientes até adquirirmos a perfeição. O paladar e o olfato, é primodial à captação e percepção de tudo o que nos rodeia. Há um ditado que diz que se queres conquistar um homem, conquista-o pela boca. Nada há nada mais grandioso nesta vida, do que comer, dormir e fazer amor.

36- Qual é o devaneio mais bizarro que você já teve?
Nunca tive nenhum devaneio bizarro, posso me passar dos carretos, mas grito e choro.
Tento manter a calma, e pensar que ao outro dia vai estar tudo bem, mas isso se aprende com a maturidade. Eu como fui obrigada a crescer depressa, sempre mantive uma postura muito certinha na vida, nunca dei problemas aos meus pais.

37- Você concorda com: “Quem não é visto, não é lembrado”? Justifique…?
Claro que concordo! Longe da vista, longe do coração. O vinculo da amizade e do amor,
se cria com uma relação dia a dia. Ora, quem nunca está presente, não há nada que se crie, nenhuma afinidade, então acaba por ser esquecido.

38- Quais são as suas metas de vida?
Eu já alcancei as metas que pretendia.
Tenho a minha família, estou realizada profissionalmente,
e agora desfruto desse prazer todo.


39- Já chorou vendo uma cena de filme? Qual?
Já chorei sim! Com o filme..” Dormindo Com O Inimigo”


40- Um pedido clássico do Cara a Cara...
Faça sua leitura nessa imagem!

“Um milagre da natureza”

Música de fundo
Amália Rodrigues- Uma Casa Portuguesa

Suas considerações finais.


Espero ter alcançado todas as expectativas desta entrevista.
Dei o melhor de mim, tentando ser o mais honesta possível.
Um bem haja, e muito obrigada pela forma como fui acolhida por todos.
Foi uma honra estar aqui, mostrar um pouco de mim.
Abraços lusitanos, 
Cristina Maria Ivens Duarte

Caríssima poetisa Cristina, muito obrigado, uma vez mais, pela entrevista.
Vocês não têm ideia do quanto impressionado fiquei ao receber
As réplicas tão polidas dessa franca poetisa Lusitana.

Abraços Hollywoodianos para os Lusitanos!!!

Até a próxima entrevista!

SAM MORENO

Enviar-me um email quando as pessoas comentarem –

Para adicionar comentários, você deve ser membro de Casa dos Poetas e das Poesias.

Join Casa dos Poetas e das Poesias

Comentários

  • Amigo Mário, obrigada por me fazer retornar no tempo. Esta entrevista deu-me dores de cabeça. O Sam não facilita nada, kkkk, bem haja, abraços.
  • Uma entrevista muito rica, acerca de uma pessoa sensível que o demonstra através das inteligentes respostas. Marca também pontos que revelam a dureza da vida e a força que tem. È realmente portuguesa de gema, e gosta de fado e peixe frito... Ah mulher! É assim mesmo... Parabéns!!

    Também parabéns ao Sam Pela bela entrevista.

    Abraços

  • Adm

    Agora que vir ler tua entrevista, Cristina. Primeiro que você é muito linda. Pude sentir em tuas respostas a sinceridade de tua pessoa, a mulher que cresceu tendo que lutar bastante pelo lugar ao sol. A paixão pelo trabalho que realiza e pela coisas que vos cerca.

    Gostei das tuas, inteligentes, respostas às perguntas do entrevistador. Foi bom conhecer um pedacinho de si. Continua escrevendo, nos brindando com tua poesia que nos fazes muito bem.

    Obrigada pela tua amizade e por estares aqui, conosco.

    Linda entrevista.

    Parabéns ao Sam pela condução, articulada das perguntas.

  • Que bonita esta entrevista. Li e reli! Ótimas perguntas e as respostas muito coerentes e interessantes! Com certeza, saí desta leitura com muito mais conhecimento de vida, de cultura, de poesia. Cristina Maria Ivens Duarte, sua vida é uma linda poesia e você Sam nos deu a oportunidade de lê-la! Obrigada e um terno abraço a ambos! Felicidades em 2017. 

  • "O tempo cravou a garra
    na alma daquela casa
    onde as vezes petiscávamos sardinhas
    quando em noites de guitarra e de farra
    estava alegre a Mariquinhas."

    Amália é uma paixão, como Florbela, Camões, Garrett e Eça, também. Além de Teixeira de Pascoaes e tantos outros... A cultura portuguesa é apaixonante. Como brasileiro, sempre agradeço a influência do "povo que lavas no rio", da gente lusitana, no nosso modo de ser, pois creio que o lirismo português deu muitos dos contornos do nosso jeito de sentir.

    Ler a tua entrevista foi um grande prazer, Cristina! Sensibilidade e articulação sempre de mãos dadas e cada frase  tua - e quase podíamos perceber o sotaque! E as indagações do Sam, incisivas e abrangentes a um só tempo, mais favoreceram a amostragem da sua inteligência, da sua sensibilidade e da sua afetividade, Cristina. 

    Minha gratidão pelo prazer de conhecer a técnica do entrevistador e a singularidade da entrevistada! Abraços nos dois!

    • Grata amigo Edvaldo pela sua presença, beijos e um feliz Natal.

      • Para você também, um Feliz Natal, minha amiga!

  • Adm
    Ótima entrevista! Aplausos à Cristina e ao SAM. Quanto talento de ambos!
This reply was deleted.
CPP