A espera...

 

A espera

 

Desperto e são horas mortas

Por onde andas meu Cavaleiro errante?

Partiste há mais de duas luas

E não me mandaste notícias...

Por esses caminhos desertos, desprotegido

Entre o murmurar do vento na tua face

Cavalgas no teu cavalo alazão tostado

Pelo sol dessas paragens desertas...

Sobe planaltos, desce planícies

Nesse terreno de terras vermelhas e áridas

Que nada combinam com teu coração amoroso...

 

Meu pensamento se confunde com a voz uivante

Dos lobos que nessa hora rondam minha janela...

Quero chegar ao teu coração para absorveres

Minha mensagem de amor, um amor grandioso

Que alimenta meus dias de solidão...

Vem, vem logo meu cavaleiro andante!

Mena Azevedo

 

Para adicionar comentários, você deve ser membro de Casa dos Poetas e da Poesia.

Join Casa dos Poetas e da Poesia

Enviar-me um email quando as pessoas responderem –

Respostas

  • Mena beleza de inspiração parabéns bjos...

     

  • Que lindo,Mena!

    Parabéns!

     

    Bjs

  • Gestores

  • Gestores Adm

    O lirismo permeia teus versos como ondas flutuando.

    Lindo de de se sentir.

    Bela interpetação, Mena.

    Parabéns!

  • Muito obrigada, Sam! Bjs.

  • Gestores

    É muito agradável chegar por aqui e ter essa oportunidade de ler ,reler o seu poema.

  • Obrigada, Nina! Vamos, pois, criar esse dueto depois da votação.Bjs.

    • OBÁÁÁÁÁÁ!!!

      Feito!

      Beijos!

      Nina

  • Seu poema parece a mensagem da "dona" que meu personagem criado em meu poema "ANDEI POR AÍ..." deixou em casa à espera dele. Os poemas casaram direitinho. Amei isso!

    Talvez não tenha sido intencional, mas realmente combinou de modo perfeito, Se você quiser, depois, eles podem se tornar um dueto... Que tal??? Seria uma honra para mim ter um dueto com você.

    Beijos!

    Nina

    • Ótimo, Nina! Foi mesmo intencional...

This reply was deleted.
CPP