Acolhimento

 

 

 

 

No cesto na noite majestosa

vive-se...  oh,vida venturosa!

as fainas ardilosas do tempo

no assombro um mudo lamento

 

Seres tem seus sonhos pueris

mundos outros sem exceção

diferente do que temos aqui

saberão eles da Anunciação?

 

Indiferente ao que o Mestre pregou

que seríamos  então todos iguais

perpetuando a vida com amor

a carência e a pobreza nos restou

 

A lua com esta imagem comovida

os acolhe fazendo a eles companhia

adornando com carinho estas vidas

na noite silenciosa e vazia.

 

 

 

 

LILIAN FERRAZ Julho/2018

 

Para adicionar comentários, você deve ser membro de Casa dos Poetas e da Poesia.

Join Casa dos Poetas e da Poesia

Enviar-me um email quando as pessoas responderem –

Respostas

  • Gestores Adm

    Bela inspiração, Lilian, quntas crianças a vivem a se virar pelo mundo.

    Faltou a tua autoria(nome) abaixo da composição.

    Parabéns!

    • Olá Edith

       

      Obrigada pela apreciação e  esqueci mesmo do nome abaixo, agora editei.

       

      Boa noite

       

      Abraços

  • Lindo e emocionante poema Lilian, nos faz refletir sobre a nossa e a vida do nosso irmão próximo.
    Como Jesus na Manjedoura, não sabia  o porquê dessa situação, descreve-nos muito bem, a imagem que nos está á frente.
    Muito a pensar em cada verso seu, dessa humanidade empobrecida de bens e outros tantos de espiritualidade.
    Ainda bem que podemos pelo menos escrever, essa insensatez que nos veem aos olhos, podendo com isso gritar a nossa revolta.
    Parabéns por tão nome poema e parabéns por esta inspiração que nos emociona tanto.

    Abraços de Veraiz Souza

    • Olá Veraiz.  Agradeço por seu comentário muito pertinente e incisivo. Muito obrigada pelo incentivo.Meu abraço 

  • Gestores

  • Gestores

    • Oi Marso. Ficou linda a formatação. Muito agradecida pela atenção e o carinho. Meu abraço 

This reply was deleted.
CPP