ANEL DE NOIVADO

ANEL DE NOIVADO

O tempo é um rio que deságua em nada.
Em seu leito adormece toda pedra
Rolada na correnteza das horas
À espera de quem resgata lembranças.

Esta aljava de luz cristalizada,
Neste momento em que o amor medra
Posturas de cortesia, Senhora,
Ela, eu vos entrego no anel das esperanças.

Aqui me tens, um cavaleiro vindo
A teus pés, como nos tempos de antanho,
A ofertar-vos prenda de amor tamanho,

Que, já velhos, de dentro do rio surgindo,
Hei de vos trazer desse tempo findo
Brilho de joia ao que vos for estanho.

(E. Rofatto)

Para adicionar comentários, você deve ser membro de Casa dos Poetas e da Poesia.

Join Casa dos Poetas e da Poesia

Enviar-me um email quando as pessoas responderem –

Respostas

  • Tão lindo assim é para ler e aplaudir. bjs

    • Grato, Marso! Comentário e gif me lisonjearam muito! (Na verdade, adorei o gif animado, rsrsrs)

  • up

    • Grato, Angélica, pela sua visita e comentário! E ainda tenho seu destaque que muito lisonjeia-me: uma satisfação imensa!

  • Muito bem feito seus versos, Edvaldo.

    • Grato, Margarida, pela leitura e comentário!

  • Muito bonito o soneto criado. Parabéns poeta. Abraços.

    • Grato pela visita e atenção ao meu texto, Alberto! Um abraço!

  • Parabéns, poeta amigo, poema maravilhoso, magistral, um deleite para o leitor... Sou seu fã. "Neste momento em que o amor medra..." Divino verso... Abraços, paz e Luz!!!

This reply was deleted.
CPP