CRISÁLIDA

 
Quisera ter o tempo a meu favor,
E não ter o pavor,
De me crisalidar.
 
Sem o tempo a escravizar,
Queria assim repousar,
E meu corpo adormecer,
Sem temer o tempo passar,
E quando acordar,
Em borboleta despertar.
 
Livre, colorida como arco-íris,
Em fim, a vida retornar,
Flutuando sem destino predestinado,
A vadiar por um céu imaculado,
Sem a mente por imaginar.
 
Que mais cedo ou mais tarde,
Em um invólucro de manto sepulcro,
Casulo me tornará,
Em calmaria a repousar,
Solitário meu sono, adornará,
Minhas fantasias, meus sonhos adormecerá.
 
 Ricardo Sales.

Para adicionar comentários, você deve ser membro de Casa dos Poetas e da Poesia.

Join Casa dos Poetas e da Poesia

Enviar-me um email quando as pessoas responderem –

Respostas

  • Que espetacular poema, poeta. Parabéns. 

    • Obrigado poeta Gilnei, pela sua grata visita e pelo elogio eloquente. Abraços.

    • Muito obrigado pelas suas mãos mágicas Poetisa Marsoalex. Abraços.

    • Obrigado Poetisa Nieves Merino pelo grato elogio. Abraços.

  • Ah Poeta... Que o Tempo nos desse
    apenas que fosse somente u'a dose
    para vivenciar esse pré-momento
    do milagre do advir da metamorfose!
    .
    (...) Quisera ter o tempo a meu favor,
    E não ter o pavor,
    De me crisalidar. (...)
    ...
    Nossos APLAUSOS pela sublime inspiração! gaDs

  • Magnifico Ricardo!!! Parabéns!!! 

  • Meus aplausos para um belíssimo poema! bjs

    • Obrigado. Seus aplausos incentivos para continuar.

This reply was deleted.
CPP