Inerte...

Inerte...

.

O dia segue lentamente, no ritmo cadenciado do relógio

A chuva, antes intensa, agora já quase não se nota

Deixou em seu lugar o silêncio das poças translúcidas

Nada se move, nada acontece, tudo está a espera

Assim como meu coração, que após a tempestade

Se mostra como o banco vazio da praça, úmido e frio

Que observam, impávidos e inertes o rumo dos acontecimentos

Meu coração segue a cadência do relógio... tum...tum...tum...

Segundo a segundo, tal qual o banco vazio da praça

Está a espera do sol que, sempre após as tempestades

Nos traz a luz, a beleza  e o colorido do arco-íris...

.

Maria Angélica de Oliveira - 30/07/17

Imagem Poesia - CPP

Para adicionar comentários, você deve ser membro de Casa dos Poetas e da Poesia.

Join Casa dos Poetas e da Poesia

As repostas estão encerradas para esta discussão.

Respostas

  • Ah Angel Menina Poeta - Encantadora de Poesias...

    - Como consegues nos emocionar assim com teus sentimentos?

    Ah - Talvez sejam apenas inspirações advindas de tua verve poética...

    Talvez... Talvez... Tal Vez... - Ah vontade de abraçar que se sente (que sinto) ao te ler... Re-Ler... Sentir... Re-s-Sentir!!!

    .

    E com essa Music de fundo... Ah Menina... Ah Poesia!!!! - gaDs

    • Obrigada Zeca por teu carinhoso comentário!
  • Parabéns, poetisa amiga, poema lindo, primoroso, adorei. Abraços, paz e Luz!!!

    • Obrigada Ilário.

    • Obrigada Marso!!

This reply was deleted.
CPP