MEU LEÃO, MEU LEÃOZINHO

 

 MEU LEÃO, MEU LEÃOZINHO...


Ruge, imponente, em meus ouvidos,
Sacode a juba
Lânguido e atroz.
Faz do teu modo habitual
Rei animal de minhas fantasias mais selvagens.

 

Sinta-me a adrenalina no pulsar do coração
Dê o bote certeiro e eficaz.
Fugirei ao teu assalto
Como se surpresa do salto,
Pra que não me sintas,
Do teu encanto feroz,
Presa fácil demais.

 

Estimularei tua sanha,
Despertarei tua insaciável fome,
O teu instinto animal.
E quando enfim me abateres
Marcando-me com tuas garras
Provando da minha suculenta carne
Entregar-me-ei à tua gula,
Rendida, eu pedirei
Em entrecortados ais:

_Devora-me!

 

By Nina Costa, in 29/01/2018

Mimoso do Sul, Espírito Santo, Brasil.

Para adicionar comentários, você deve ser membro de Casa dos Poetas e da Poesia.

Join Casa dos Poetas e da Poesia

Enviar-me um email quando as pessoas responderem –

Respostas

  • Belíssimo Nina! Parabéns!

  • Adm

    Passando para conferir.

    • Yes.

  • Nossa, Nina! Surpreendente!!!

    • kkkk...

      Obrigada, amiga Dolores!

      Grande beijo!

      Nina

  • Cumprimentos pelo seu olfato literário!  Ao mesmo tempo em que a sua adrenalina rolou solta - ela lhe deu um tema forte - seu olhar especial fez jus ao Rei da Selva.

    • Obrigada pela presença e pelo comentário que muito me apraz!

      Esteja sempre à vontade em meus esparços textos postados. Certamente, sentir-me-ei muito honrada.

      Boa noite!

      Nina Costa

  • Sensusal, forte e lindo, Nina! Parabéns!

    • Obrigada, Marso!

      É que o leão é assim... (Eu acho, né.)

      Beijos!

      Nina

This reply was deleted.
CPP