Nudez

Despi de minhas memórias

Histórias, de mim mesmo

Insensatez, loucura, alucinação

Segredos, devaneios, criação

Por ondes andas, sinto-me nu

Vergonha, medo, desolação

Perdido de quem eu era

De quem sou

Ou gostaria de ser

Esperança vazia, silêncio, hesitação

Sem razão, amor, apenas a solidão

Nudez interior, nudez exterior

Como, quando e por quê?

Talvez por tudo, talvez por nada

Sinto que preciso resgatar-me

Vestir-me novamente dos meus sonhos

Embriagar-me de coragem

Enfim, respirar as minhas possibilidades

Resgatando em vida, a minha verdade!

 

Luciana Mara Drumond

Para adicionar comentários, você deve ser membro de Casa dos Poetas e da Poesia.

Join Casa dos Poetas e da Poesia

Enviar-me um email quando as pessoas responderem –

Respostas

  • Magnífico! ! Parabéns!! 

     

  • Adm

    Nossa! Que linda interpretação, especialmente os versos finais.

    A verdade de nós memsos precisa ser encarada para seguirmos com um pouco de qualidade de vida.

    Reverência, Luciana.

    • Obrigada Edith, fico feliz que tenha gostado! Abraços!

  • Esplêndido poema! Meus repetidos apausos!

  • Uma maravilha, Luciana!

This reply was deleted.
CPP