Gestores Adm

Rei leão

Rei leão

Teu olhar espreita, ao longe,
a nuvem de fumaça elevada ao céu,
no seio de tua morada.
Um misto de impotência te torna
espectador da destruição que não
provocaste.

De nada vale seres um rei diante
do que consome e varre o solo de
teus ancestrais.
A tua beleza e força são meros atributos
frente a ganância e avareza dos primatas
que te deserdam do direito de morrer
no mesmo solo que naceste.

O urro agoniado de teus semelhantes
em fuga, se apagarão do mesmo modo
que se apagam as tuas pegadas nas
chuvas que revigoram as nascentes.

Edith Lobato - 02/02/18

Para adicionar comentários, você deve ser membro de Casa dos Poetas e da Poesia.

Join Casa dos Poetas e da Poesia

Enviar-me um email quando as pessoas responderem –

Respostas

  • Gestores

  • O desequilíbrio ecológico que causamos já não pode ser remediado: "as pegadas se apagarão", inevitavel e tristemente... É muito bom ler versos que expressam respeito pela vida, em quaisquer de suas formas, Edith!

  • Lindo Edith! A Natureza pede socorro! 

  • Gestores

    Cumprimentos bela criatividade! Continue assim.

  • Gestores

    Forte e lindo, teu poema, Edith! Meus repetidos aplausos!

This reply was deleted.
CPP