Saudade Eterna

Ah, como eram belos os poemas que tu me escrevias 
Meus olhos se enchiam de lágrimas a cada verso que eu lia
Sempre com muito carinho e dedicação
O amor que tu me tinhas nunca foi uma ilusão


Escrevias com dom divino e tamanha maestria
Tocava o coração de qualquer um com poesia
Em noites ermas, tu procuravas, em meio à insônia,
Dizer por que me amavas de forma espontânea


Sempre linda e com vestido longo, costas de fora,
Usava pena de ganso para escrever sentimentos afora
A sua escrivaninha era o seu lugar favorito
Era de lá que saiam tantos belos poemas escritos


Ah, por que a vida foi cruel comigo
para levar-te de mim?
Esta dor imensurável que machuca
E me cerca, nunca terá fim


Guardarei em minha memória cada
Verso e poema escritos por ti
Porque amor como esse
Eu nunca mais senti.

Jilmar Santos 24/08/2016

Para adicionar comentários, você deve ser membro de Casa dos Poetas e das Poesias.

Join Casa dos Poetas e das Poesias

Enviar-me um email quando as pessoas responderem –

Respostas

  • Adm

    Show. Parabéns, poeta!

    • Obrigado, amigo!
  • Lindo! Amei teus versos Jilmar! Parabéns!
    • Obrigado, Dolores! Bjs

  • Lindo! Parabéns!!!...
    • Obrigado, Sandra!

  • UAU E UAI JILMAR...

    NÃO É JUSTO MESMO - concordo contigo... Mas teu Poetar

    qual este que nos embriaga, a trará de volta... Com a sensual pena de ganso!

    CALOROSOS APLAUSOS NOSSOS!!! gaDs

  • This reply was deleted.
    • Obrigado, Nina! Sempre gentil. Bjs

  • Belíssimo seu poema, Jilmar! Parabéns! bjs.

This reply was deleted.
CPP