Voragens d'ouram céus!


       

          Voragens d’ouram céus!

 

          Imensas voragens se deitam

          na brancura d’ouram céus e vagidos

         suspirando intrépidas sem riscos.

         Imensas vastidões em açoites,

        flutuantes sargaços, vulpinos...

 

         Imensas são as noites roubadas

         sequiosas tragam

         pegadas rutilantes em vagas

         ao despir das areias movediças

        lodosas sensações, rubejantes

        que, espraiam violinos plangentes

        na toada cigana, que se furte...

 

       Imensas são as tuas carícias...

      cascateantes deslizam, tombam

      e lambem tudo, vorazes pelos eitos

     do meu corpo aberto em chamas!

 

               Elzana Mattos

*****

**********

 

Para adicionar comentários, você deve ser membro de Casa dos Poetas e das Poesias.

Join Casa dos Poetas e das Poesias

Enviar-me um email quando as pessoas responderem –

Respostas

This reply was deleted.
CPP