Algo me Despertou

O mar é plácido e, refrangente, realça o dia

Uma manhã de paz e transbordante frescor

Perto, a uma distância em que se ouve a cor

Dos olhos teus cuja luz de pérolas me invadia,

 

Trocamos olhares e nossa face trocou sorrisos

Ficamos imóveis quais estátuas de puro marfim

Ousamos mexer-nos para juntarmos os risos

Um friozinho dorsal nos impediu o ato, por fim

 

Buscamos disfarces para nossas vãs atitudes

E novamente os olhares foram confrontados

Eis que me adiantei e já, bastante aproximados,

Começamos a falar sobre valores e as virtudes

 

O declínio do sol chegou, continuamos a conversar

Quedos nossos corpos permaneceram, e devaneei

Pois algo em ti me causou imenso, doce despertar

E agradeci aos céus quando, enfim, te encontrei..

Rui Paiva

.  

Para adicionar comentários, você deve ser membro de Casa dos Poetas e da Poesia.

Join Casa dos Poetas e da Poesia

Enviar-me um email quando as pessoas responderem –

Respostas

  • Poesia a gente precisa renovar a leitura porque ela, quando bonita, fica mais bonita cada vez que se lê.

  • Meiga e doce criatura, que te fez devanear, despertar e a encontrar e pelo que parece, também se encontrar...Parabéns poeta....Magnífico...Te aplaudo de pé.
  • Lindo encontro, Rui. "Imenso, doce despertar." Como isso é maravilhoso! E por do sol causa umas coisas na gente, né!

  • Como sempre, Rui, um belíssimo poema! Bjs

  • This reply was deleted.
    • Nina, você é uma mulher em foram de poesia (ou vice-versa)

      Bjs

  • Um poema lindo, forte e romântico, Rui! Gostei muito! Bjs.

    • Grato pela visita, Mena!

  • Qué beleça de poema e de historia de amor, querido RUI

     Muito bom, amigo.

     Beijos grandes

    • Obrigado, minha meiga amiga!

  • Nossa! que lindo Rui.

This reply was deleted.
CPP