Na Morada dos Sentimentos

Escrevi um bilhetinho

a uma colega de classe

Ela leu, deu um risinho

- Não sabia que "poetasse!"

e seu sorriso bem parecia

- a brancura dos seus dentes –

monte de arco-íris me sorria

Aí fui sobrepondo palavrinhas

pus tudo em um caderninho

minhas mal traçadas linhas

e o guardei com todo carinho

enchia os cantos com anotações

tratei-o como um pergaminho

que atravessasse gerações

Escrevi sobre o sol e a lua

alvoreci, entardeci, anoiteci

inseri as nuances da minha rua

até duendes e fadas me apeteci

não poderiam faltar as estrelas

sequer meu pássaro azul amado

Poesias, quando queria relê-las,

recorria ao caderninho pautado

 

Permaneço horas e horas a fio

folheando as páginas dos alentos

que me assomam como um rio

etéreo na Morada dos Sentimentos!

Rui Paiva

 

Para adicionar comentários, você deve ser membro de Casa dos Poetas e da Poesia.

Join Casa dos Poetas e da Poesia

Enviar-me um email quando as pessoas responderem –

Respostas

  • Nossa, quanta doçura, querido Rui, nessta belissima e terna história narrada em belos versos...

     Emotivo e belo demais, meu amigo da alma.

     Bravo, poetazo.

     Beijos

  • Tão querido este poema! No completo sentido da expressão. Parabéns!

  • Terno e singelo seu escrito.  Leveza boa de sentir...   Parabéns!   beijos


  • Rui do Vale Paiva - Na Morada dos Sentimentos
    ...
    Muito criativo e pertinente teu "bilhetinho" que
    poeticamente escreveu a uma colega Rui...
    Parabéns pelo teu espírito alegre carregado de Poesia!
    gaDs!

  • Meu apreço por tão precioso comentário Iraci obrigado!

  • Rui Paiva

    Lindo demais, encantada,

    parabéns, bjs MIL.

    • Meu apreço por tão precioso comentário Iraci obrigado!

This reply was deleted.
CPP