“No rosto, o sorriso esconde a dor que vai na alma”

 

Já não me vejo no espelho como outrora

Os sulcos da face escondem a tristeza

Tristeza que prensa e aos poucos devora

 E, em silêncio cubro-me com véu de incerteza.

 

Os lábios que um dia foram carmim

hoje não tem cor... são opacos... pálidos.

O olhar absorto sem brilho mora em mim

e o tempo traz à tona o belo passado.

 

Revejo-o!... Sem maquiagem posso chorar,

não manchará a face, ninguém verá.

Posso no meu mundo adentrar e recordar

Tirar conclusão...Sozinha, como o futuro será?

 

Não demonstro, quero paz nesse momento.

Mergulhar nos dias, acalentar a saudade.

Absorver cada instante, ouvir o pensamento,

esquecer o hoje e ocultar-me da realidade.

 

Mesmo ansiosa não transpareço desgosto

Ficar só para sempre é ferir minha alma!

Mesmo chorando por dentro, haverá no rosto

um sorriso aberto como se estivesse calma.

 

Márcia A Mancebo (08-03-2018)

Para adicionar comentários, você deve ser membro de Casa dos Poetas e da Poesia.

Join Casa dos Poetas e da Poesia

Enviar-me um email quando as pessoas responderem –

Respostas

  • Gestores

  • Agradeço a todos que visitaram minha página e deixaram comentário.

    Um forte abraço e um beijo.

  • Márcia querida sua poesia

    me emocionou muito linda e real adorei abraço...

  • Que lindo !

    Amei seus versos onde há o desabafo senil.

    Muito triste, quando a pessoas já não se reconhece no espelho.

    Tive uma vivência dessa há pouco tempo com minha mãe.....94 anos.

    Revivi-a em seu poema e me emocionei. Lembranças, saudades, é o que restou

    É o que restará a todos nós um dia.

    Parabéns pela inspiração

    Abraços de Veraiz Souza

  • Gestores Adm

    Uma pérola teu poema, Marcia.

    Show de poesia.

    Parabéns!

  • Gestores

  • Gestores

    Sensacional!!! Parabéns!!

  • Um poema feito com muito esmero! Lindo!

    Parabéns Márcia!

This reply was deleted.
CPP