O lugar, não era o escolhido, nem tampouco as pessoas que ali estavam.

Virou-se e viu aquele menino, cabisbaixo, com as  mãos cruzadas ao peito. Parecia querer chorar.

Aproximou-se e viu as lágrimas que insistiam em paralisar seu olhar que brilhava como o mais lindo cristal.

Com voz embargada perguntou-lhe o que havia acontecido.

Como mágica, as lágrimas saltaram e rolaram face abaixo, como cachoeira que não para um instante sequer.

-Quero a mamãe, disse o menino.

Nessa frase estava toda a dor de uma criança que parecia perdida. Perdida de quem, de onde?

Ele tentou segurar as mãos da criança que assustada, recolheu-as para trás de si e novamente disse:

- Quero a mamãe!

Olhou em volta e viu os escombros, a poeira, pessoas que corriam daqui para ali. Meu Deus,

quanta destruição e morte, quantas vidas ceifadas a trôco de ganâncias governamentais.

O que fazer com aquela criança ali sozinha e petrificada de medo e chamando por sua mamãe.

Enxugou uma lágrima que caíra no rosto e viu a criança olhar para ele e dizer:

- Não chore, você também perdeu sua mamãe?

Ele disse:

- Minha mamãe está no céu com os anjos.

Foi aí que o menino segurou em sua mão e falou com voz mais alegre:

- Vamos juntos então, até onde ela está, talvez a minha mamãe, também está lá com a sua.

Seu rosto abriu um sorriso, para esconder a dor que lhe ia na alma.

Ele... um soldado das tantas guerras e das tantas crianças que salvara todos os dias.

Sua bravura em salvar vidas, seu heroísmo rendeu-lhe muitas medalhas que hoje,

 nada significam diante daquela criança, mais uma que iria para o Abrigo,

pois seus pais não resistiram ás bombas, que aviões inimigos jogaram sobre sua casa.

O menino... um milagre de Deus!

Seguiram rua abaixo de mãos dadas, quem estava confortando quem....

O sorriso no rosto, escondeu a dor que lhe ia na alma.

 

Veraiz Souza - 01/04/18

Para adicionar comentários, você deve ser membro de Casa dos Poetas e da Poesia.

Join Casa dos Poetas e da Poesia

Enviar-me um email quando as pessoas responderem –

Respostas

  • Gestores

    Bela crônica, Veraiz. eus aplausos!

  • Gestores

  • Gestores

    Meu sorriso tem a cara do disfarce, oculta consternações, nostalgias... esconde segredos que sou eu conheço. Meus cumprimentos poetisa Veraiz!

    • Olá caro poeta SAM

      Grata pela visita  ao meu poema.

      Coube aí um desabafo, se é que entendi bem. Talvez pela Crônica ser muito sentimental.

      Mexe com sentimentos guardados mesmo.

      Mas sorria, mesmo que seja um sorriso triste, disfarçado ....

      Abraços de Veraiz Souza

  • Gestores

    Ola Veraiz... 

    Salvo engano de minha parte - não vi nada errado...

    Vi ao contrário teu sentir muito certo... emocionante... emocionado!

    Parabéns pela tua linda obra!! (mas se há algo que desconheço a Edith te informará)

     

    • Grata pelo retorno.

      Recebi essa mensagem, de que estava em lugar errado.

      Mas acho que já foi solucionado.

      Abraços

      Veraiz

  • Olá Edith

    Porque meu poema tema, está postado em lugar errado?

    O que tenho de fazer?

    Não entendi a mensagem

    Grata

    Araço

    Veraiz Souza

This reply was deleted.
CPP