O coração que carrega

Decerto a dor que aflige o peito

rasga, dilacera, mas não se entrega

delega, pois, indigesto e contrafeito,

sabendo ser o coração que carrega

 

Amiúde crava-lhe o punhal certeiro

as nuances que o sentimento refrega

deificado como o alvo do ávido arqueiro

tais restolhos que o coração carrega

 

Rememora situações suaves ou funestas

no ardor das paixões que não desapega

soçobram vestígios de agudas arestas

sem  importar o coração que carrega

 

Naufraga nos porões a longeva quimera

inelutável estertor de imediato se agrega

nos escombros à insensatez se apodera

navalhando sem dó o coração que carrega

Rui Paiva

 

Para adicionar comentários, você deve ser membro de Casa dos Poetas e da Poesia.

Join Casa dos Poetas e da Poesia

Enviar-me um email quando as pessoas responderem –

Respostas

  • Aplausos, Rui! Parabéns por tão fantástico poema!
  • UAU...

    (...)

    Rememora situações suaves ou funestas

    no ardor das paixões que não desapega

    (...)

    Em Quadras tão reflexivas, deixa-nos sensível o sentir generalizado

    do que se passa em nossos corações!

    NOSSOS CALOROSOS APLAUSOS - Poeta Rui Paiva!

    gaDs!

  • Sempre uma surpresa! Felicitações pela belíssima composição!

  • Grato pela visita e generosas palavras! Rui Paiva

  • Belíssimo! Parabéns amigo Rui Paiva...Gostei muito, abraço.

This reply was deleted.
CPP