Posts de Elaine Márcia (205)

Que saudades

Que saudades...

Que saudade de ser criança!
De não ver o tempo passar
Que saudade de ter boas lembranças para lembrar!
De sair correndo na chuva
De no barro escorregar
De cair fazendo bagunça,
Sem se machucar!
Que saudades de ser criança
De comer bolinhos de chuva
Do bigodinho de leite
Do colo depois do jantar
Que saudades de ser criança
De não ter preocupações
Da gaveta de badulaques
Do meu tesouro escondido
Da flor por detrás da orelha
Dos segredos contados no ouvido
Que saudades de coisas tão simples
De ficar horas observando o caracol
De seguir a carreira de formigas
De pegar peixinhos no anzol
Que saudades...
De um tempo bom que já se foi
E quando a gente ja não vive coisas boas,
Tudo que nos resta é a saudade do tempo que já passou...
E é por isso que eu digo: "Que saudades!"

Elaine Márcia.

Saiba mais…

E por falar em inclusão...

E por falar em inclusão...

Normal?
O que é ser normal neste mundo atual?
Um mundo onde cada um
Tem as suas diferenças
Suas particularidades,
Seus costumes, suas crenças
E o que dizer dos detalhes que cada um possui, afinal?
São olhos que pouco enxergam, ou nada veem!
São ouvidos que se silenciaram...
Lábios que se calaram ou nunca falaram...
São braços, são pernas, são mãos
Que não existem ou então
Não mais desempenham bem sua função
Isto nos faz diferentes ou menos importantes, talvez?
E o que dizer dos sentidos, do cognitivo que ninguém vê?
Será que por isso não sou igual a você?
Normal?
O que é normal?
É fingir que nada vê?
É não oferecer condições
Para quem quer aprender, e se locomover e viver?
Normal?
O que é normal?
É discriminar?
É ironizar?
É rejeitar?
Por causa de um detalhe
Que talvez falte em mim
É assim?
Então, meu irmão, se isto é ser normal, fique com sua normalidade, ela não serve para mim... de verdade!
O que eu quero é condições para exercer a minha dignidade!
O que eu quero, simplesmente é igualdade.

Elaine Márcia.

Saiba mais…

Mãe

Mãe

Fazem dezoito anos
Que entrou em minha vida
Dezoito que sou mãe
Não se gerou em meu ventre
Não saiu de minhas entranhas
Não se alimentou de meus seios
Mas, foi em meus braços
Que encontrou aconchego
E foi também aqui
Que encontrou e fez nascer o amor
O amor de mãe que chega e que dá força
O amor que faz mesmo a gente crescer
O amor que nos ensina a resolver problemas
O amor que nos da força para viver
E quando a chuva bate forte na janela
Naquele momento em que a tempestade vem
Olho seus olhos tão profundos e belos
E sinto-me forte, mesmo em meio ao furacão
E quantas vezes já ouvi dizerem
Ao conhecerem nossa história peculiar
"Então você não é mãe dela?"
Sim, eu sou mãe! E isto nada irá mudar
As vezes penso bem aqui comigo
Que mãe é mesmo um ser peculiar
Nem é preciso ter gerado o filho
O que é preciso mesmo é
Cuidar, amar, cuidar...
E nestes termos temos várias mães
E todas merecem um amor sem par
E tem a mãe que coloca no mundo
E tem a mãe que de ti ajuda a cuidar
Tem a mãe - tia, tem a mãe - avó
Tem mãe - amiga que o tempo nos dá
Tem a mãe - pai, tem a mãe que escolheu ser tua mãe
E o mais bonito desta lista sem fim
É que para ser mãe previsa-se de um filho
E é por isso que és tão importante para mim!
Minha pequena - grande filha
Que fez- me mãe e foi a grande razão de eu ser tão forte assim!

Deixo aqui o meu carinho eterno as mamães... todas as mamães... as titias, avós, adotivas, mães de coração, de peito, de leite, mães que cuidam por um tempinho ou por um tempão... mães que amam de forma incondicional mesmo não tendo o filho nos braços... mães dos filhos que se foram para sempre... mães!
E meu carinho aos filhos... bons... malvados... danados ou não... aos filhos vivos e aos que já se foram... sem vocês, jamais conheceríamos o que é esta força mágica de ser mãe!
As vezes queremos aperta-los, outras enforca-los...
Mas, no final, terminamos sempre por ama-los!
Você, filho (a) nos fez mãe!

Que Deus abençoe grandemente as mamães!
Que Deus abençoe grandemente os filhos!

Elaine Márcia.

 

Saiba mais…

Resiliência é meu nome

Resiliência é meu nome

Um alerta de perigo
Faz o meu peito sangrar
Deixou-me com rosto abatido
E fez os meus olhos chorarem
Um alerta de perigo
Um grito de solidão
Um aperto no peito partido
Um sentir-se na contra mão
Na contra mão da vida
E até mesmo da razão
Quando sinto que estou indo
E o resto do mundo, não
E olho prum lado e pro outro
E percebo que estou só
E a solidão machuca
E faz o peito dar um nó
Um alerta de perigo
É hora de o rosto secar
Tomar as rédeas da vida
E então parar de chorar
Este alerta de perigo
Está aqui pra dizer
Que a depressão está rondando
Tá querendo me prender
Mas, estou sempre alerta
Ela não vai me pegar!
Sou rosa
Sou guerreira
Sou fênix
É hora de recomessar!

Elaine Márcia.

Saiba mais…

Feliz ano novo

Boa tarde meua amigos da Casa!Desejo um ano de 2018 repleto de alegrias e muitas, muitas bênçãos na vida de todos vocês! Que não falte amor, saúde e União! Que não falte fartura, bem Ventura e mansidão! Que não falte a vocês inspiração!Beijinhos doces no coração de cada um....E deixa eu correr que vou ficar bonita para a comemoração!Xau!: )
Saiba mais…

Feliz Natal!

Olá meus amig@a da CPP!Bom aqui deixar meu carinho, meu abraço e minha atenção especial nesta data que é tão linda!Obrigada por fazerem parte da minha vida, vocês são únicos e especiais !Clamo à Deus que derrame bênção sem fim na vida de cada um e que estas bênçãos sejam estendidas aos seus familiares!Feliz Natal!Beijos doces e estaladinhos no coração de cada um de vocês!: )
Saiba mais…

Quando a poesia se cala

E quando o silêncio chega

Calado e calando em mim

E as palavras se perdem

Navegando num mar sem fim

 

E quando a rima emudece

E o verso não canta mais

O encanto se esmaece

O que é que o poeta faz?

 

Quando a poesia se cala

Se fecha dentro de mim

Eu fecho os olhos em prece

E clamo pra que a solidão

Não maltrate tanto assim!

 

Elaine Márcia, Guajará-Mirim, 19/12/2017.

Saiba mais…

O gato mia

O gato mia
Quando cai a noite
O gato mia
Quando o dia vem
E também mia 
Quando está contente
E quando sente 
A falta de alguém 
E ha quem diz que 
O miado do gato
É como um choro 
Um choro de clamor
O gato mia 
Pra dizer pra gente
Que é bom demais
Dar e receber amor!

Elaine Márcia, Porto Velho,  12/10/2017

Saiba mais…

Azul brilhante


São 6h45mim, manhã de 13 de Julho de 2016 na capital portovelhence de Rondônia.
Estou voltando da padaria meio sonolenta ainda... "não funciono muito bem pela manhã. .. rsrsrs... fico no modo econômico de energia".
Estava entrando na rua de casa quando olhei para o céu.
Me-u De-us! 
Não! Não se trata de um OVNI  ou qualquer coisa assustadora! Era um espetáculo maravilhoso da natureza, onde o astro rei irradiava seus raios reluzentes por entre as nuvens, dispostas em tufos branquíssemos... fiquei em dúvida se o sol tentava se esconder por detrás das nuvens ou se eram elas que dançavam em frente do rei! E o  céu! Ah! Encantava com o colorido maravilhoso em matizes de azul... um azul límpido... divinamente... azul!
Parei e fiquei admirando toda aquela beleza... olhei o sol, pensei no olho de Deus espreitando por entre as nuvens e me olhando aqui na terra... o olho de Deus... Lindo!
As nuves brancas pareciam  contornadas por fios de Ouro, era um brilho intenso! 
Corri o olho ao redor olhando sempre para o céu, a tempos ele não se veste assim, com um azul tão azul. .. este que vislumbro agora! Fico aqui me perguntando, será que era este céu azul que Joaquim Araújo Lima* vislumbrava quando compôs o hino de Rondônia? "... azul, nosso céu é sempre azul, que Deus o mantenha sem rival, cristalino muito puro e o conserve sempre assim..." é,  acho que era este céu que ele admirava!
Fecho os olhos e respiro fundo... carrego agora um sorriso no rosto... olho mais uma vez para o céu azul brilhante e agradeço à Deus por me permitir ver esta maravilha!
Meu estômago me lembra que preciso degustar o pão quentinho que carrego comigo... sigo para casa, desperta e feliz!
Mais um dia começa!
Obrigada Deus!
Seja bem vindo dia!!!! 

* Hino de Rondônia: Céus de Rondônia - Letra: Joaquim de Araújo Lima, Melodia: José de Mello e Silva

Na imagem, As Três Marias, Ponto turístico da capital.

Saiba mais…

Um recado aos meus amigos....

Boa noite meus amigos da Casa, tudo bem com vocês?

Venho aqui desculpar-me pelo sumiço e justificar-me...

Tenho passado por momentos marcantes em minha vida pessoal e profissional e isto tem sugado um poco demais meu tempo.

Coisas boas tem acontecido em minha vida, como por exemplo a realização de um sonho de dois anos...

Sou Coach!

Sonhei com isto, lutei por isto e consegui! Estou feliz! :)

Esta é a primeira etapa, muitas outras virão... novas conquistas, novos desafios, novas vitórias!

Ficarei afastada por um tempo... é preciso.

Isto não é um adeus... é um até breve!

Saudades... saudades... saudades...

Você me fazem um bem danado!

Amo, amo, amo vocês!

Beijinhos doces no coração.

: )

Saiba mais…

Doces sensações


E caminhava faceira
Com seu vestido de seda
Seu salto alto... Brilhante
E cabelos esvoaçantes 
Sentiu um roçar suave
De suas coxas macias
Que se acariciavam 
Durante seu caminhar
E de seus lábios vermelhos
Surgiram um leve sorriso
Seu peito arfava, contente 
Se sentiu no paraíso 
E quem passava ao seu lado
Nem mesmo podia notar
O prazer que ela sentia
Apenas com seu caminhar
Provando a doce carícia
De sua pele macia
Da coxa com coxa roçar.


Elaine Márcia, Porto Velho, 11/05/2017.

Saiba mais…

Uma visita inesperada

 

O dia está lindo, a oportunidade está batendo na porta, pedindo para você sair e abraçá-la...

Você corre, abre a porta e para.

Descobre assustada que a tal da oportunidade não tem exatamente a cara que você imaginou, mas, continua sendo uma oportunidade!

E ela diz: "Vem! Abraça-me"!

E você fica parada na porta... Com medo de dar o próximo passo...

A oportunidade percebe sua indecisão...

Ela diz: “Vem! Posso não ser tão bonita como você imaginou, mas, sou eu! A oportunidade! Abraça-me”!

E você a olha com olhos assustados, sabe que é ela, reconhece seu valor, mas... Tem medo!

A oportunidade abaixa os olhos e já não mais sorri como antes... Está se preparando para ir embora...

E você, o que vai fazer?

Vai voltar fechar a porta e se esconder no aconchego de sua segurança?

Ou vai abrir os braços, correr e abraçá-la antes que ela se vá?

Eu não posso decidir por você.

Ei! Estamos mesmo falando de oportunidades...

 

Elaine Márcia, Porto Velho, 16/05/2017.

Saiba mais…

Se eu te amo?


Se eu te amo?
Ah! Se amar é querer o bem,
Se é querer estar juntinho,
Se amar é sentir saudades, 
Se é querer trocar carinho,
Se amar é admirar,
Se é sentir calor no peito,
Se é vontade de oferecer aconchego,
No meu colo, desse jeito,
Ah! Se isto é amar, 
Te amo só um pouquinho,
Um pouquinho do infinito, 
Um amor que não se acaba,
Um amor assim...
Bem bonito!

Elaine Márcia, Porto Velho, 12/05/2017.

 

Saiba mais…

Minha mãe


Um dia eu lhe disse o quanto você era guerreira... Ainda bem que lhe disse isto!
Neste dia, pude ver o sorriso mais lindo e ganhei o abraço mais gostoso e aquele beijo estaladinho na bochecha que jamais irei esquecer!
Hoje é dia das mães. 
Daqui a pouco irei para o almoço do dia das mães em família... Você não estará lá para ganhar meu abraço e oferecer seu sorriso... 
Hoje eu já chorei a sua falta e em meio às lágrimas eu sorri com as lembranças boas que vivi ao seu lado...
Me lembro de você lavando roupa e eu dentro do tanque no meio das roupas "ajudando" você... Lembro-me de você me jogando par cima e me aparando com seus braços... Era divertido! Lembro-me de como você cuidava com carinho do meu cabelo pixaim... Eu dormia com a cabeça no seu colo enquanto você fazia trancinhas pequeninas em meus cabelos... E lembro das tranças grossas também, aquelas que ficavam armadas e pareciam dois chifres de boi zebu! Rsrsrs... Como sofri com estas tranças! Eu me lembro do seu desespero quando caí e desloquei o braço! Foi terrível, mas me senti segura em seus braços... e o cuidado que você tinha para manter aquele gesso limpo, nossa! A hora do banho era um desafio para não molhar o gesso! E você me ajudada até a levantar da cama... Lembro-me de nossas conversas em minha adolescência... E do dia em que casada, me mudei para o interior... Você chorando lá no portão e eu chorando no caminhão... Lembro-me da ansiedade que sentia quando ia te visitar... Mesmo quando eu não avisava você parecia saber que eu iria chegar! Como naquele dia que cheguei de surpresa e você tinha preparado minha comida preferida... Você era meio bruxinha, meio fadinha, com um quê de anjo... É... Você era sim!
Hoje eu chorei porque você não está mais aqui ao meu lado, mas, decidi que não vou mais chorar!
Afinal, eu tive você como mãe!
Sou privilegiada, fui agraciada... Louvo a Deus por isso!
Hoje sou mãe e sou um pouco "ou muito" como você... Acho que sou uma boa mãe, afinal, tive uma ótima professora!
Obrigada mamãe por ter-me deixado tantas lembranças boas, por ter contribuído tanto para que eu seja hoje quem eu sou.
Obrigada Deus por ter escolhido minha mãe para ser minha mãe. 

Feliz dia das mães, mamãe! 
Feliz dia das mães a minhas irmãs que tem também um pouco de fada, um pouco de bruxinha e um quê de anjo, como você! 
Feliz dia das mães a todas as mamães, mãe é um ser bem peculiar... Especialmente, divinamente peculiar.

Elaine Márcia, Porto Velho, 14/05/2017.

Saiba mais…
CPP