Posts de SAM MORENO (364)

Adm

> CARA A CARA COM SAM - POETA ILARIO MOREIRA<

SAM MORENO
ILARIO MOREIRA

Primeiramente quero agradecer o poeta Ilario pela disponibilidade
E empenho em nos outorgar essa entrevista.
Eu que agradeço a oportunidade e, é sempre uma honra
“falar contigo”, poeta e amigo Sam.
Com todas as letras, quem é Ilario Moreira?

Sou oriundo de uma família muito pobre e, como filho caçula tive que trabalhar muito cedo para ajudar no sustento da família numerosa (12 anos). Sou Neto de Escravo por parte materna e Bisneto de Escravo por parte paterna, veja que o flagelo da Escravidão não esta tão distante da vida das pessoas, como pensam a maioria da sociedade.


Estudei até a quinta série e parei os estudos para trabalhar, fiquei cerca de oitos anos fora da escola e, somente voltei por que, vi que era o único meio de mudar o meu destino, deixar um trabalho árduo que pouco rendia financeiramente. O meu irmão que era deficiente físico, por causa de uma paralisia infantil foi meu grande incentivador, ele era um exímio poeta e eu já escrevia algumas coisas também, desta forma, ele viu que havia em mim potencial e ajudou-me a deixar aquele mundo de sofrimento, mas nem tudo foi maravilhas no começo, meus pais não entendiam o porquê deixar de trabalhar em uma fábrica, para continuar na roça somente para estudar, eles achavam que era tolice.


Voltei a estudar o meu irmão estava na Faculdade, fazia Biologia na Ufscar, garoto pobre que passou a vida estudando em escola pública e conquistou uma vaga em Biologia passando na Fuvest sem fazer cursinho, isto em 1984, fiquei muito feliz por ele.
Eu dediquei aos estudos e em 1992, passei no curso de Tecnologia em Processamento de Dados com ênfase em Análise de Sistemas na Fatec, Faculdade de tecnologia, sem fazer cursinho e estudando em escola pública, foi motivo de grande alegria para meu querido irmão.


Tenho espírito aventureiro e passei em vários concursos:
Terra foto - Empresa de recadastramento imobiliário federal extinta pelo Collor (1º)
Prefeitura de Matão como guarda-municipal
Prefeitura municipal de Matão como auxiliar de Dentista
Escrevente Judiciário do Tribunal de Justiça de São Paulo (7º)
Professor da Rede Pública de Ensino Paulista onde dei aulas de Matemática e Física.
Corpo de Bombeiros de São Paulo
Policia civil de Mato Grosso do sul
Prefeitura municipal de Matão como Guarda-municipal (1º)
Agente da Escolta Penitenciária de São Paulo meu atual cargo (1º)
Cursei também um ano de Licenciatura em Matemática no IFSP, em Araraquara em 2011, mas tive que abandonar por razões de segurança pessoal, para manter minha integridade física.


Fui vendedor junto com meu irmão, que também tinha um espírito nômade, conhecemos os Estados de Goiás, Minas-Gerais, Mato Grosso do Sul e Mato Grosso, forma longos 05 anos viajando juntos, conversávamos muito sobre várias coisas, geralmente, transcendentais.


Meu irmão era Ateu na acepção da palavra, eu sempre fui um pouco espírita, achava que tinha alguma coisa que regia o Universo, não fazia sentido uma explosão (Big Bang) criar algo tão perfeito, tão Matematicamente lógico, ele escrevia muito e nós dois começamos a sonhar juntos e aprimorar nosso versejar.
Minha mãe não entendia como podia um Biólogo e um Analista de Sistemas, ficarem viajando, aventurando-se ao invés de "ganhar dinheiro" trabalhando em uma empresa. rsrsrsrs


Ele faleceu no dia 24/11/2011, um grande golpe para mim, pois, éramos muito ligados, acho que até hoje não superei totalmente sua perda, era o único irmão que me entendia, realmente, conhecia meus sonhos, meu potencial, caráter, etc...
Fiquei com ele até o final e disse a ele que um dia nos encontraríamos de novo e o nosso amor será eterno. Ele deixou um Livro pronto com 250 poemas, sonetos, etc... Que esta sob a guarda de minha amada Nanci Moreira.
Hoje frequento a Casa Espírita regularmente e, levo uma vida restrita, quase que não tenho vida social, a família é meu sustentáculo.

Casei-me por duas vezes:
Aparecida dos Santos:
Tenho com ela duas Filhas lindas, Nanci Moreira e Naiara Moreira.
Edna Martins de Oliveira: Tenho com ela um Filho lindo, Átila de Oliveira Moreira.
A separação foi sem grandes traumas, elas sabiam de minha tendência nômade e não gosto de sacanear ninguém, não faria sentido ficar traindo-as e obrigá-las a serem fiéis a mim, então, coloquei um ponto final na relação e ficamos amigos, nossa relação é ótima, isto para nossos filhos foi essencial.


Hoje me encontro recluso e tenho uma companheira Salete Borges da luz, que me ajudou e ajuda muito a superar os traumas, não somos casados e por enquanto, não cogitamos nada a respeito, o futuro irá dizer o que será desta relação, já não sou mais um garoto e o espírito nômade já não é mais tão presente, hoje sou muito metódico no que faço e isto até me surpreende ás vezes.
Cursos que fiz á parte:

Gerenciamento de crise: Pela polícia civil de São Paulo.
(para negociar com bandido caso tenha refém em seu poder)

Mergulho: Pela Polícia Militar de São Paulo para resgatar pessoas mortas afogadas, coisa chocante de se fazer. (pelos familiares)
Salvamento em altura: Pela Polícia Militar de São Paulo.

Tiro de Precisão: Para eliminar o possível alvo, sem danos ao seu refém,
pela Polícia Civil de São Paulo.

Invasão de alto risco a local tomado por Facínoras: Pela Polícia Civil de São Paulo
Conhecimento prático de armas letais de cano curto e longo: Carabina .40, Submetralhadora 9 mm, Escopeta calibre 12, Fal 7.62, Pistola .40, Pistola .380, Revólver calibre 38, todos pela Policia Civil de São Paulo.
Técnicas letais sem uso de armas de fogo ou branca: Polícia civil de são Paulo.

Técnicas de uso de material potencialmente inofensivo como arma letal:
Policia Civil de São Paulo.

Técnicas de redação: Tribunal de Justiça de São Paulo.
Como redigir um mandado usando termos técnicos:
Tribunal de Justiça de São Paulo.

Programador de computador em Linguagem COBOL, Turbo Pascal, C++, todas obsoletas hoje, ficou mesmo o conhecimento das técnicas, da lógica matemática envolvida na programação, na época o Sistema Operacional era o DOS, não desejava ser analista, programador, etc... Fiz a Faculdade pelo conhecimento que queria adquirir, não para ganhar dinheiro com isso.


Valorizo o conhecimento, estou sempre lendo alguma coisa, não tenho uma matéria preferida, estudo sobre tudo um pouco, acho que isto é cultura saber sobre todas ás matérias um pouco, de que adianta, ser mestre em determinada matéria e não saber onde nasce o Rio São Francisco, em que região do país você vive, em que Continente você se encontra... Tem que ter uma visão abrangente do mundo, conhecer um pouco de cada coisa, esta é minha visão do conhecimento, do que é ser Culto.


O objetivo de uma armadilha de peixes é pegar peixes; quando eles caem na armadilha, ela é esquecida. O objetivo de uma armadilha para coelhos é pegar coelhos; quando estes são agarrados, esquece-se a armadilha. O objetivo das palavras é transmitir as idéias. Quando estas são aprendidas, as palavras são esquecidas. Onde poderei encontrar alguém que se esqueceu das palavras?
É com ele que gostaria de conversar.
Chuang Tzu

PS:

Meu pai era autodidata, conhecia muito sobre Matemática, eu fui resolver certos problemas que pra ele era fácil, depois de estudar muito. Minha Mãe eu e meu irmão a ensinamos a ler e escrever esse foi o meu maior trabalho realizado até hoje, foi muito gratificante o dia que minha mãe começou a ler e escrever sozinha, foi muito emocionante, nós retiramos ela das sombras e deixamos a Luz do saber iluminá-la.
A velha adorou aprender.

S/M: Você acredita que o ser humano está em conflito na aptidão de amar?
ILARIO: Sim. Esta é uma pergunta polêmica, mas, hoje os jovens em sua maioria esmagadora confundem sexo com amor (fazer amor) e, isto gera muitos problemas, pois, você pode encontrar uma mulher que lhe satisfaz muito bem na cama, mas fora dela ás coisas podem ser diferente. O ideal é encontrar a mulher que lhe satisfaça em todos os sentidos, isso eu chamo de amor na acepção da palavra. Posso estar errado, mas é assim que penso.


S/M: Concorda com a redução da maioridade penal?
ILARIO: Não. Outra pergunta polêmica, mas, a redução não irá resolver o problema da criminalidade, o crime é um problema social e não jurídico, se quisermos diminuir o crime devemos diminuir o abismo social, senão, iremos enxugar gelo. Tem também a questão, familiar, educacional, etc. Longe de mim culpar pais e professores como os responsáveis, mas, atentemos a um detalhe importante, a massa carcerária no Estado de São Paulo é composta de 80% por jovens com idade abaixo de 25 anos e, todos eles passaram pela família e escola e ninguém notou um desvio moral, é algo a se pensar, já fui professor sei como é o ambiente, mas, alguma coisa precisa ser feita neste sentido, quanto aos pais já são fruto de uma má formação, então, ele alimenta o ciclo... Como profissional de Segurança Pública sei que a repreensão, cadeia, morte, tortura, etc. Não irá diminuir o crime, é isso.

S/M: Devemos culpar a ciência pelas bombas nucleares?
Ou denunciar o maligno uso da ciência?
ILARIO: Sam, não acredito que possamos culpar ou denunciar o uso maligno da ciência. É da natureza humana ser arrogante, vil, desejar o poder, etc. A ciência em muito ajudou a humanidade, agora o seu mau uso não é culpa da humanidade e sim de uma meia dúzia que sonha com o poder, esses com ciência ou sem ela iriam causar danos a humanidade da mesma forma a sua essência é maligna...

S/M: Qual sua visão sobre a filosofia?
Em qual seguimento que ela não lhe é compatível?
ILARIO: A Filosofia é importante na questão de criar princípios lógicos, determinar formas de comportamento que não serão nocivos a sociedade como um todo, eu leio muito sobre filosofia, adoro. Ela não me é compatível na questão da metafísica, ela cria muito mais perguntas que respostas, então, eu pego o que me é bom e elimino o que acho aceitável, posso estar errado, não sou Filósofo, mas é assim que vejo a Filosofia. Independente disto acho que o estudo da filosofia é primordial na formação do cidadão consciente de seus direitos e deveres. Hoje há um equívoco enorme entre ás pessoas elas falam muito em direitos e não vejo ninguém falando em deveres, ora, não há direitos se não houver deveres...


S/M: Em alguma ocasião já puxou a brasa pro seu assado?
ILARIO: Vou ser sincero, não. E paguei um alto preço por isso, em nossa sociedade existe a idéia de que você tem que levar sempre vantagem, eu não acho isso lógico, sou muito cartesiano na minha conduta e perdi emprego, amigos, etc. Eu fiz a minha escolha de vida e não abro mão de meus princípios no meio em que trabalho há muita corrupção, mas sempre fico fora e já sofro retaliações por isso.


S/M: “Como foi que a placa ‘‘É PROIBIDO PISAR NA GRAMA” foi colocada lá?
ILARIO: Pisando-se na grama rsrsrs. Tem certas regras que não ajudam em nada, diz para você que devemos fomentar o verde, mas, você não pode nem pisar em uma grama, como é que vai ser esta relação entre o homem e a natureza, eu tenho amigos em uma Reserva Indígena e eles não tem regras escritas, aprende-se desde pequeno que a natureza é sua irmã e ponto final, se você for cortar uma Árvore por que é necessário o Xamã vai e reza para o espírito da Árvore pedindo perdão por cortá-la, assim também é com os animais se for preciso matá-lo, e jamais, fazem xixi no Riacho, Rio, Lago, etc. Isso eu acho válido e não precisa estar escrito.

S/M: Em que sentido poderíamos dizer que estamos avançados
no conhecimento espiritual?
ILARIO: É uma pergunta polêmica, por que, tenho que criar parâmetros, mas, não irei fugir da resposta. Jesus disse que ele é o caminho a verdade e a vida. Você é Espírita como eu e sabe disto, quando foi perguntado ao espírito da verdade qual seria o modelo a ser seguido ele foi claro ao responder: Jesus. Ora, Jesus, tal como outros espíritos iluminados não tinham apego pelas coisas materiais e sim pela misericórdia, então, quanto mais perto das coisas materiais estivermos mais distante das coisas espirituais estaremos e, vice-versa, na questão do não julgamento e da misericórdia todos sabem quando estão errando, salvo os excepcionais, pois, as leis de DEUS esta escrita na consciência do homem, você como espírita sabe disto,
quem falou isto foi o espírito da verdade em resposta a Allan Kardec.
Este é meu entendimento. Não julgar e sempre praticar a misericórdia...


S/M: Por que a lei que proíbe a venda de bebidas a menores de idade não é cumprida?
ILARIO: É uma questão de consciência, lembra do jeitinho brasileiro de sempre levar vantagem, então, quando envolve a questão monetária o indivíduo acha “normal” burlar a lei, pois, ele esta se beneficiando disto e, por incrível que pareça esta mesma pessoa critica a corrupção é como se ele estivesse em uma ilha e pudesse fazer o que quiser, os outros não, voltamos na questão dos direitos e deveres o brasileiro não quer deveres somente direitos e privilégios...


S/M: Sem fé é impossível continuar?
ILARIO: Sim. Se o indivíduo não acredita ele não irá comprometer-se com a questão, então, estará perdendo seu tempo. Temos que acreditar, aprender, e colocar em prática os ensinamentos, isto eu chamo de fé.

S/M: É mais ético caçar do que criar animais?
Ou é melhor ir a um supermercado e comprar a carne? 
ILARIO: O mais ético seria não comer a carne, pois, os animais são nossos irmãos, espíritos inferiores que não alcançaram o estágio Hominal, mas, um dia chegarão aos deuses e a eternidade como nós, você sabe do que estou falando, pois, é espírita. É um desrespeito matar um irmão e comê-lo, mas, nós ainda não alcançamos a perfeição, portanto, fazemos uso destas coisas abomináveis do ponto de vista espiritual.

S/M: Você acredita na validade do matrimônio quando o homem
não tem mais ereção?
ILARIO: Essa é uma decisão de foro íntimo, então, é difícil opinar, vou falar por mim. Há meios de se levar a mulher ao êxtase sem penetração ou com auxílio de algum objeto e tal, então, se isso acontecesse comigo eu iria falar com minha parceira e deixaria para ela a solução da questão, afinal, o ônus maior é dela, não a criticaria se ela resolvesse separar-se por isto, ficaria chateado se ela concordasse e depois me traísse, isto é o que penso, ás pessoas tem o livre arbítrio, por que, prendê-la a mim se não sou capaz de satisfazê-la em sua plenitude. Seria egoísmo puro creio eu...


S/M: Por que é que os bisbilhoteiros insistem de querer cuidar da vida de outros planetas?
ILARIO: O ser humano acredita que é detentor da verdade absoluta, então, ele cria seus estereótipos e acha que é o certo e ponto final, quem foge a regra esta errado. Os bisbilhoteiros chegam ao cúmulo de não praticarem nem o que cobram dos outros e, geralmente são pessoas que tem graves problemas de relacionamentos interpessoais, com baixíssima auto-estima, rancorosas, etc. quero distância deste tipo de gente...


S/M: Como manter e incitar o interesse das novas e futuras gerações pela literatura?
ILARIO: É despertar neles o prazer pela leitura, ensiná-los que o conhecimento é um valor, mas, nesta era da tecnologia onde o jovem pensa que sabe tudo por que tem mil amigos nas redes sociais, isto é um desafio gigantesco...

S/M: Você é especialista em algum tipo de conselho?
ILARIO: Não. Eu não sou especialista em nada nobre poeta e amigo.


S/M: Tem alguma iguaria que você comeu e jamais esqueceu?
ILARIO: Buchada de bode achei uma delícia, tem um cheiro forte, mas o gosto é divino, isto foi quando fui à primeira vez na Bahia na casa de parentes, achei sensacional, meus filhos abominaram rsrsrs.


S/M: Como vê o papel do escritor na velocidade da comunicação moderna?
ILARIO: Vou dizer o que penso, aceito o contraditório sem problemas, acredito que o escritor tornou-se obsoleto, pois, ele busca a excelência, a informação na comunicação e a comunicação moderna busca é desinformar o leitor, isto é muito triste a meu ver, o pessoal dos meios de comunicação moderno são meras personas, que escrevem o que os seus patrões querem que ele escreva e, não o que querem escrever. O escritor de verdade é um intelectual, uma eminência e não pode render-se aos caprichos do poder monetário. É isso.


S/M: Que tipo de emoções você quer deixar nas pessoas que admiram suas poesias?
ILARIO: É uma boa pergunta nobre poeta e amigo. Talvez, a questão nem seja deixar emoções, e sim, mostrar a minha maneira de ver o mundo, que sou um ser humano falho como qualquer outro, que fico triste, alegre, amo, odeio, pois tenho minhas fraquezas, a ideia é mostrar o que sou que adoro escrever e transformar sentimentos em palavras. É isso.


S/M: O sexo com amor é bem melhor do que por puro prazer?
ILARIO: Sim, com certeza, se pudermos unir o útil ao agradável é perfeito, mas nem sempre é possível e, o sexo é uma necessidade fisiológica, então, se não há amor, mas há certa “química” e o desejo esta presente, vamos em frente sem problemas de consciência, desde que seja consensual e não tenha uma terceira pessoa na jogada (traição) quero dizer...


S/M: Como recuperar das armadilhas em que o coração caiu?
ILARIO: Com muito sofrimento e muita poesia, noites de solidão, etc.

S/M: O hábito faz o monge. A ocasião faz o ladrão.
Fale um pouco sobre o que existe de autêntico ou não nessas duas frases?
ILARIO: Não acredito que a ocasião faz o ladrão, o ladrão cria, torna possível a ocasião... Eu lido com ladrões, estupradores, traficantes, etc. Depois que você adentra este mundo é muito difícil sair, há muitos “benefícios” que o cidadão comum nem sonha ter, eles são dissimulados, maldosos, não tem sentimento de empatia, visam apenas, o lucro seja monetário ou não. O hábito faz o Monge? Há quem diga que sim, eu acho que não, pois, neste mundo individualista e racista você ter competência não quer dizer nada, há uma gama de outras coisas que você terá que preencher para ser aceito ter sucesso, ser reconhecido...

S/M: O Ilario concorda que o erotismo faz parte da nossa vida?
ILARIO: Sim, acho que o erotismo faz parte de nosso imaginário, é impossível amar uma mulher sem ter sonhos eróticos com ela, pensar em fetiches, etc. É a minha visão, o contraditório é bem-vindo.

S/M: Em seu ponto de vista a nudez é inocente?
A mente das pessoas que a deixa pervertida?
ILARIO: Sim, com certeza, o corpo humano foi elaborado para ficar nus, os seres humanos que inventaram a roupa para proteger-se das intempéries e depois, para criar ás regras, dogmas, paradigmas, tudo baseado em sofismas e falso moralismo. Um homem que não respeita uma mulher nua não a respeitará com roupa. Tem um Livro chamado “O macaco nu” de Desmond Morris, ele é pouco conhecido, por que, contradiz a teoria da evolução de Darwim, se você puder leia-o é muito interessante, perder o pelos para nós seres humanos foi uma tremenda desvantagem não somos os mais bem adaptados...

S/M: O que você pode antecipar sobre o amanhã?
ILARIO: Nada, o amanhã não pertence á mim e, sim ao Arquiteto do Universo.

S/M: Se você pudesse viver em qualquer lugar do mundo, onde seria?
ILARIO: Tenho paixão pelo Brasil, não gostaria de morar em outro lugar, mas conhecer eu gostaria de conhecer o Egito e suas famosas Pirâmides...

S/M: Os meninos devem ser criados da mesma forma que as meninas?
ILARIO: Sim, não há por que, criar diferente é daí que nasce a misoginia, o machismo, etc. Somos seres humanos iguais e só, pó ao pó, cinzas ás cinzas...

S/M: Você é uma pessoa justa? Como você sabe?
ILARIO: Não sei se sou justo. Procuro ser, mas posso estar equivocado com minha forma de interpretar a Justiça. O que posso garantir é que não farei a você o que não quero que faça comigo e, o que é seu é seu, mas o que é meu eu não abro mão.
Não engano ás pessoas, se a relação ruiu eu chego e jogo ás cartas na mesa...

S/M: É notório que o beijo gay citado em temas de novelas, e sólido na vida real incomoda mais as pessoas do que o estupro, da mãe que faz a filha virar prostituta, e da filha que é abusada sexualmente pelo próprio pai!
Poeta Ilario por que essa inversão de valores?
ILARIO: É uma pergunta polêmica, mas não vou fugir, falarei o que penso. No Brasil o machismo é predominante, então, entramos no campo dos paradigmas, dogmas, falso moralismo, etc. Um homem beijar outro homem para esse pessoal é inaceitável, apenas, pelo fato, de serem homens. O livre arbítrio não existe para eles. A mulher, assim como os Negros, ainda são vistos como cidadãos de segunda classe, a própria lei assim as vê, isto também esta no inconsciente coletivo das pessoas, então, estuprar, abusar, de alguém inferior é aceitável, assim como, matar o indígena e escravizar os Negros era aceitável até pouco tempo. Hoje não escraviza mais o Negro diretamente e também não expressa o racismo de forma declarada, não há necessidade para isso, pois, o senso comum já o faz com excelência.
Desculpe-me fazer a analogia.

S/M: Você convidaria Nelson Mandela, ou Che Guevarapara um bate-papo?
ILARIO: Sim, seria um sonho para mim realizar essa façanha, espero que um dia em uma de minhas viagens astrais os Mentores me autorizem a conhecê-los, permitam-me ver os seus corpos espirituais e conversar com eles, seria maravilhoso.

S/M: Para ser protagonista do seu filme você convidaria Marsoalex?
Qual séria a temática do filme? 
ILARIO: Investigativa. Baseado no Livro “Poirot investiga” de Agatha Christie.
Vamos apresenta-la ao premiado diretor, roteirista, Quentin Tarantino. O talento da Marsoalex como uma brilhante protagonista de filmes investigativos se espalhará tão rapidamente que o diretor Francis Ford Coppola fará uma contraproposta, o triplo do cachê do Quentin Tarantino.
"Quem pode, pode. Quem não pode se sacode!"

S/M: Se pudesse refazer algo em sua trajetória, olhando para dentro e para fora tomaria qual decisão?
ILARIO: Aproveitaria melhor algumas oportunidades que a falta de maturidade tornou possível que escapasse.

Um pedido clássico do Cara a Cara...
Faça sua leitura nessa imagem!

Eu, diria que representa a luta dos negros contra a obra da escravidão,
que por incrível que pareça ainda nos torna reféns, que nos mata,
nos delimita, nos subestima, nos impede de ascender socialmente.

Música de fundo
VOA LIBERDADE – JESSÉ

Deixe as suas considerações

Caro amigo e poeta, Sam Moreno, foi gratificante responder ás suas perguntas, fui autêntico o máximo possível, não fugi ou usei meias palavras, se em algum momento exaltei-me e falei mais do que devia, peço desculpas a ti e a todos os que irão ler esta entrevista. Esse é o verdadeiro Ilário Moreira não poderia vender uma falsa imagem minha e nunca tive esta pretensão. Obrigado, pela oportunidade.
Abraços, paz e Luz!!!

PELA DEFERÊNCIA AO
CARA A CARA COM SAM
Foi uma honra entrevistá-lo!
Conhecer de perto a intercomunicação
Do poeta Ilario Moreira.
Tenha certeza que vai ser super agradável
Para os nossos leitores.
Muito obrigado mais uma vez!
Valeu!

Abraços hollywoodianos
Até a próxima entrevista!

Saiba mais…
Adm

>>>>EU COMO, TU COMES, ELE COME...

Vontade para mim não é coisa que dá e passa
Resolvi me virar para fazer um pudim para comer
Amo o “clássico” pudim de leite condensado e,
Sem compostura, propago isso aos quatro ventos
Se o Paraíso era Paraíso, deveria existir pudim por lá.

Pudim faz mal! Bem mesmo faz pizza, torresmo e feijoada
Tenha a Santa Paciência! Não me venha com chorumelas!
Meu corpo é um templo diz a pessoa que não come pudim
Mas ela ingere milhares de substâncias nocivas à saúde
Dona Raimunda aquela feia de cara e, boa de...
Diz que está dieta, mas entuba pudim goela abaixo.

O mundo parece girar em câmera lenta
Quando estou diante de um pudim, à calda
Hipnotiza-me mais do que o canto da sereia
Certa vez, me perguntaram Sam Moreno
O que é melhor, pudim ou sexo?
Sem pestanejar, respondi:
Depende da qualidade do pudim
E da qualidade do sexo.

SAM MORENO

Saiba mais…
Adm

>BONECA DE PICHE<

BONECA DE PICHE

Venho danado com meus calos quente
Quase enforcado com meu colarinho
Venho empurrando quase toda a gente, preta,
Pra ver meu benzinho. Você, meu benzinho

Nego tu veio quase num arranco
Cheio de dedo dentro dessas luvas
Bem que o ditado diz: nego de branco
É sinal de chuva. É sinal de chuva

Da cor do azeviche, da jaboticaba
Boneca de piche, é tu que me acaba
Sou preto e meu gosto, ninguém me contesta,
Mas há muito branco com pinta na testa

Tem português assim nas minhas águas
Que culpa eu tenho de ser boa mulata
Nego se tu borrece minhas mágoa
Ah, eu te dou a lata. Dou mesmo.
Eu te dou lata

Não me farseia ó muié canaia,
Se tu me engana vai haver banzé
Eu te sapeco um rabo-de-arraia
E te dou no pé. Eh! Eh! Eu te piso o pé

Da cor do azeviche, da jaboticaba
Boneca de piche, sou eu quem te acaba
És preto e tem gosto ninguém te contesta
Mas há muito branco com pinta na testa
És preto e tem gosto ninguém te contesta
Mas há muito branco com pinta na testa.
Composição: Ary Barroso / Luiz Iglésias


O clássico dos clássicos
De Grande Otelo
Foi Boneca de Piche.
A carreira desse ator merece
Sempre ser lembrada e reverenciada.
As melhores cantoras dividiram
O palco com o artista.
Carmem Miranda, Elizete Cardoso
Gal Costa, Wanderleia
E outros artistas também.

Considerado um dos maiores atores do século xx
Grande Otelo foi um artista multimídia
Tendo trabalhado no teatro
Rádio, cinema e na televisão.
Infelizmente somos um País sem memória.
SAM MORENO

Saiba mais…
Adm

>DOLORES FENDER – CARA A CARA COM SAM<

SAM MORENO
DOLORES FENDER


Desde já, agradeço imensamente à estimada poetisa Dolores Fender por sua atenção e por ceder um pouco de seu tempo para essa entrevista.

Dolores: Eu é que agradeço tão gentil convite, Sam Moreno!

S/M: Antes de começarmos as perguntas fale um pouco dos seus estudos
e das áreas que você atua!

Boa Noite, Sam!
Cursei o segundo grau completo e o Técnico em Prótese Dentária.
Em 2005 conheci a maestrina Silvia Luisada e a
Música passou a fazer parte da minha vida, intensamente. 

Iniciei duas faculdades, mas, não conclui nenhuma delas, a primeira foi Pedagogia, dois anos, fiz estágio em escolas, a segunda foi Letras Português.
Interrompi porque não dei conta da minha casa, da música e dos estudos, tudo ao mesmo tempo.

Minha função na orquestra Silvia Luisada - OSL - é Flautista, naipe das madeiras, somos sete flautistas, Dora, Elza, Nuna (flauta I), Marilda, Deuslira, Ivani e Eu (flauta II).
Ficamos em frente à maestrina Silvia Luisada, bem no fundo, próxima à percussão.
Continuo no Coral Rachel Peluso, minha voz é contralto.

S/M: O meu grande sonho é aprender tocar gaita por ser amante do blues – tenho que encontrar um bom professor.
Vamos a primeira pergunta você está preparada?

Dolores: Sim senhor, preparada!
Aprenda gaita sim, Sam!
Ouvir música é maravilhoso, executá-la é muito mais!

SAM: Muitos dizem que comprar livros é um desperdício de tempo já que a tecnologia dos computadores está substituindo essas funções atualmente.
Até que ponto você concorda ou discorda?
Dolores: Não concordo! É muito bom ler livros no computador ou celular, mas ter um livro nas mãos, o contato dos dedos no papel, tê-lo bem próximo ao corpo, ler sem intermediários que dependam de energia alheia, é mil vezes melhor.
Quando eu era criança, vivia abraçada com os poucos livros que tinha, à noite reunia meus irmãos menores e lia para eles, as histórias que mais gostava, eles se lembram disso até hoje.

S/M: Qual a diferença entre abstracionismo e surrealismo?
Dolores: Essa pergunta é difícil, não sei responder. Li e reli a respeito dessas duas correntes e as achei semelhantes, acho que em ambas, os artistas queriam romper com as normas rígidas e tradicionais. Queriam expressar o mundo da maneira que viam, da maneira que sentiam, queriam fugir da realidade que era imposta pela sociedade.


S/M: No Brasil em sua opinião, qual a cidade que representa bem a gastronomia do país.
Dolores: Acredito que seja São Paulo.

S/M: Se não é agora, quando?
Dolores: É melhor que seja agora, se deixar para depois o pássaro voa, a chance se vai,
o amor acaba...

S/M: Prefere uma ceia refinada num restaurante 5 estrelas ou simplesmente a companhia dos amigos comendo um belo churrasco ao ar livre no seu quintal?
Dolores: Prefiro um restaurante 5 estrelas, numa ocasião especial. 
Gosto dos meus amigos, mas não todos ao mesmo tempo numa comilança desenfreada e bebendo muito, prefiro conversar olhando nos olhos.

S/M: O homem também pode ir para a cozinha e a mulher trocar aquela lâmpada?
Dolores: Com certeza!


S/M: Nem tudo a boreste e nem tudo a bombordo?
Dolores: É preciso que haja equilíbrio! Senão ficamos à deriva da própria vida.


S/M: Até que ponto você acha que uma pessoa pode amar alguém?
Dolores: Uma pessoa lúcida ama enquanto se sente amada, os loucos amam eternamente. Amo eternamente!


S/M: Descrente é o indivíduo que crê piamente na descrença?
Dolores: Acredito que não! Se ele crê na descrença crê em algo, portanto não é descrente.


S/M: O que tem a dizer das pessoas que procuram os seus direitos, mas não cumprem os seus deveres!
Dolores: São tantas que agem assim! Egoístas, prejudiciais à sociedade, ao país.


S/M: Quais são os desafios e as singularidades de uma orquestra que você procura ressaltar?
Dolores: Pontualidade de todos os envolvidos aos ensaios e apresentações.

Os músicos têm o dever de estudar o repertório com dedicação. Manter uma relação cordial, respeitosa e amigável com os colegas e com a maestrina ou maestro. Manter o material de estudo, partituras, organizados e os instrumentos musicais afinados. Cabe (a) ao regente: afinação e a escolha do repertório pensando em quem toca e em quem ouve, além de orientar e conhecer bem cada um dos seus músicos.
O maior desafio é receber os aplausos da platéia e vê-la novamente em outras apresentações. Graças a Deus, é isso que tem nos acontecido.


S/M: Você impulsionaria um músico a tocar com mais paixão, ou com mais perfeição?
Dolores: Com mais paixão.


S/M: O que foi constitucional, em sua infância, para despertar seu interesse pela poesia, e pela música?
Dolores: Foram os livros escolares, acredito que a partir do terceiro ano. Eu adorava: A Flor e a Fonte – Vicente de Carvalho, (sabia de cor até pouco tempo atrás). A Bailarina e As Duas Velhinhas – Cecília Meireles, O Sapateiro e o Rei – Bulhão Patos, entre outros.
Na música tudo começou tarde demais, infelizmente! Em junho de 2005 ganhei um convite para assistir um concerto no Teatro Paulo Eiró. (Tem horas que eu acho que a mão do destino nos guia). Meu marido, minha mãe e dois irmãos iriam junto. Na noite anterior ao concerto fomos a uma festa e na saída, às 2 horas da manhã, tinham arrombado o nosso carro, a porta não fechava e tive que voltar pra casa segurando-a. No dia seguinte, sem carro ninguém quis ir, mas algo me chamava e fui sozinha. Foi lindo! Era a OFISA com apenas 1 ano de vida, hoje já tem 13 anos, e tinha uma Camerata de Flauta Doce que me encantou. No final do concerto a maestrina Silvia Luisada convidou a platéia para a Oficina de Flauta Doce que era ministrada por ela mesma. Fui! Fiz 1 ano de oficina (tenho até diploma), entrei na Camerata de Flauta Doce, no Coral Rachel Peluso e fui monitora por cinco anos da Oficina. Há nove anos a Camerata de Flauta Doce se transformou na Orquestra Silvia Luisada – OSL, que é a orquestra da qual faço parte como flautista. Toco flauta transversal.

S/M: Você também é preocupada com sua saúde?
Vigia o tempo todo à balança, ou faz como a maioria enfia o pé na jaca?
Dolores: Estava fazendo tudo errado, com os pés e a boca na jaca e em muitas outras coisas doces e salgadas demais, rsrs, até a semana passada, mas resolvi tomar juízo depois que fui à Endocrinologista e à Nutricionista.

S/M: Qual é o seu diagnóstico sobre o machismo?
Quais as suas considerações sobre o capitalismo?
Dolores: Machismo para mim é falta de bom senso.
O homem não é mais e nem melhor que a mulher, e vice versa, cada qual com sua peculiaridade.
Prefiro o Capitalismo ao Socialismo, porém, com bom senso, a propriedade pode ser privada, os lucros são direito de quem produz, de quem vende, de quem presta serviços, etc., o erro está na ganância exorbitada, na falta de respeito, na desumanidade.

S/M: Seu conselho para uma mulher ter uma noite de amor inesquecível.
Ser ousada, tomar a iniciativa, ser direta sem entrelinhas, um lingerie com aquele chamariz, ou um beijo mais ardente imediatamente diz tudo?
Dolores: Basta estar com quem ela ama e é amada, a sós, num lugar confortável e bonito, o resto acontece inevitavelmente.

S/M: Você acha que o poeta Rui Paiva é mais bonito do que eu?
Tenho cara de: Esquentadinho ou tranquilo?
Dolores: Kkk Não! O Rui Paiva é bonitão, mas não tem o seu bronzeado!
Você é muito simpático, agradável, brincalhão, atencioso com todos nós da Casa dos Poetas e das Poesias, faz comentários maravilhosos sobre nossos escritos, nos estimula a escrever. Se fosse esquentadinho nem leria o que escrevo. Não seria o padrinho da Angelina a Glamorosa. Com certeza é muito tranqüilo e consciente do que quer e faz.

 

S/M: Lei terrena e lei divina?
Dolores: Lei terrena: cruel – salve-se quem puder! Lei divina: misteriosa! Às vezes não entendo o porquê de tanta maldade com inocentes não ser punida, não ser evitada, não se voltar contra o próprio malfeitor!


S/M: Aquilo que observamos é realmente o que observamos?
Dolores: Não!
Depende do ângulo de observação, ou seja, depende da posição que estamos em relação ao que observamos. Ex.: ver uma mãe doando seu bebê para adoção, diremos que essa mãe é desumana, porém, se nos colocarmos no lugar dela, que tem nos braços uma criança que não pode alimentar e nem criar com dignidade com certeza veremos outra imagem dessa mesma mãe.

S/M: Que contribuições poderemos extrair da existência?
Dolores: Dá para resumir em apenas uma palavra: APRENDIZADO.


S/M: O que deixaria você literalmente nas nuvens?
Dolores: Ver meus filhos felizes, minha neta crescendo, sorrindo, quando sinto que um amigo (a) mora dentro do meu coração e eu dentro do coração dele (a), quando toco ou canto bem em uma apresentação, quando escrevo, e muitas outras coisas.
Como você pode ver, vivo nas nuvens!
Quando alguém me chama levo um susto e caio lá de cima, mas vôo pra lá em seguida.

S/M: Você concorda que as mulheres, apesar da capacidade de luta que possuem, trazem o instinto materno incrustado na alma, o que as impede de separar o joio do trigo?
Dolores: Concordo em parte: as mulheres, com a capacidade de luta que possuem, trazem o instinto materno incrustado na alma. Isso não as impedem de separar o joio do trigo.


S/M: A Dolores acredita que nós, na Terra, somos a única forma de vida em todo o universo?
Dolores: Não!
Eu acredito que há outro planeta.
Que há vida lá. Seus habitantes são poetas e poetisas. Alimentam-se de palavras, adoram viajar e às vezes pousam suas naves espaciais aqui na Terra e habitam entre nós por tempo indeterminado.

S/M: Literatura permite-nos sair do mundo real e chegar ao mundo da fantasia.
Ao mesmo tempo em que provoca a reflexão, responde a algumas de nossas inquietações
por meio de construções simbólicas.
Você confirma ou discorda?
Dolores: Confirmo! A Literatura nos dá asas, nos liberta do casulo corpo físico, permite que nossa alma viva experiências novas e as leve até o nosso cérebro, através da Literatura adquirimos conhecimento e passamos conhecimento aos outros também.

S/M: Será que existem impedimentos que você ainda precisa superar? Qual é a origem?
Dolores: Acho que muitos. Prendo-me aos meus filhos e marido, não consigo passar mais de um dia fora de casa, viajar sem eles nem pensar! A origem, acho que foi o modo como fui criada, o exemplo de minha mãe que estava sempre presente cuidando da família.

S/M: Quem são, em sua opinião, os cosméticos brasileiros que fazem parte da sua usualidade, que são capazes de competir em pé de igualdade com os importados?
Alguma dica para suas amigas poetisas dessa casa?

Dolores: Gosto de O Boticário e Natura.
O básico, não tenho o hábito de me maquiar muito, exceto em ocasiões especiais.

S/M: Qual a conexão que a mulher Dolores
considera a mais perfeita entre o paladar e o olfato?
Dolores: Água na boca.


S/M: Finalize essa frase.
Embora desde criança ficasse horas fazendo ...trabalhos domésticos ...
devo confessar que...queria era estudar..

S/M: Será que um dia teremos um representante do povo no Senado
e não do dinheiro, como tem sido até agora?
Dolores: Quem sabe! É o mínimo que nós brasileiros honestos, esperamos.
Os desonestos não querem!


S/M: O que seu simpatizante falaria a seu respeito?
Dolores: Acho que diria que sou sincera.

Um pedido clássico do Cara a Cara...
Faça sua leitura nessa imagem!

Dolores:
O ambiente sombrio, a flor caída na
direção do copo d’água,
tão perto da água e morrendo de sede,
o contraste do vermelho da flor e das ultimas
folhas verdes com a paisagem, como no Brasil.
A água existe, mas está mal distribuída,
a mão que poderia pegar o copo d’água e regar
o vaso não o faz, assim como acontece no nosso nordeste.

Música de fundo
Schubert - "Ave Maria" (Ellen's Third Song) by Bevani flute

 Deixe as suas considerações finais...
Dolores:
É muito bom participar de sua entrevista Sam Moreno,
na verdade nem mereço estar aqui,
Cara a Cara com você, ilustre e querido poeta,
estou engatinho nessa maravilhosa arte de escrever,
quero aprender muito aqui nesta CPP
que me acolheu com tanto carinho.
Obrigada!

Caríssima poetisa Dolores.
Agradeço a você por essa entrevista dinâmica e por, tão sabiamente,
ter respondido a todas as minhas perguntas! 
Abraços hollywoodianos
Até a próxima entrevista!

SAM MORENO

 

Saiba mais…
CPP