Poesias

CATARSE

CATARSE

Meu corpo inflama as línguas de fogo
Com que me lambe laborando, entre
Lufadas de beijos, lúdico jogo
No vaivém de seios, mãos e ventre.

O seu desejo chama salamandras
Do ar a lhe insuflar no corpo inteiro
Ardor fruído em vontades malandras
De que, amante, sou dono e meeiro.

O prazer a lhe varar, por entre as coxas,
Os sentidos e a crispação das pálpebras
Que se prendem no auge das forças,
Vai além do que mensuram as álgebras.

Mas, após ultrapassar o impreciso,
Voltam, refluxo de onda, a espraiar-se
Pelo rosto absorto em um sorriso
Os sonhos colhidos nesse catar-se.

(E. Rofatto)

Enviar-me um email quando as pessoas comentarem –

E. Rofatto- formatação by livita

Para adicionar comentários, você deve ser membro de Casa dos Poetas e da Poesia.

Join Casa dos Poetas e da Poesia

Comentários

  • Muito bonito E. Rofatto.

    • Grato, Margarida!  Sempre um prazer recebê-la aqui! Sempre uma alegria merecer o seu comentário!

  • Edvaldo Poeta Menino - Sorriso...
    .
    E Deus criou O e A...
    E lhes deu como instinto - para o "continuum" da Divina Criação o instinto do "Crescei e Multiplicai-vos"
    .
    MAS... - Não foi apenas isto... - DEUS É (pois não se pode dizer "foi" ou "será" pois ELE não tem tempo passado ou futuro)...
    .
    No "O e A que criou "segundo sua semelhança" logo com primazia sobre outras Obras, para esse continuum - inseriu que no ato necessário para a proCriação houvesse o PRAZER e este - no decorrer dos milênios desde então - com o Livre Arbítrio concedido aos O e A's foi construída a "Poesia Existencial"...
    .
    E desde então - quando o Ato da Procriação (ainda que não proCriativo) entre o "O e A" se climatiza pela Poesia... ... .
    .
    SIM - aí ocorre a "Catarse" - não a trágica Aristotélica ou Platônica, nem a Freudiana qual sendo "metafísica" e sim a feita em "insight" pelas Artes...
    .
    E pelas Artes, no sentir do Poeta, a Catarse se livra das aspas (" ") e se exterioriza nos Orgasmos... Não raro múltiplos...
    .
    Assim li e senti esta CATARSE "maiúscula" do Menino Poeta Edvaldo em momentos inspiracionais CATÁRTICOS!!!
    .
    Me sinto NU para poder aplaudi-lo (pois não trouxe as folhas de bananeira para tapar a nudez)

    ......
    DEIXO APENAS OS "CLAP CLAP CLAP CLAP CLAP CLAP CLAP"!!!!!!! - gaDs!

    • Meu Zamigo, você eZtrapolou, eZorbitou, maravilhoZamente! (Espero que não me cobre direitos autorais peloZ empréZtimoZ! É que acho que você merece!: não estou usurpando, só homenagenado! rsrss, ou melhor, rZrZrZ)

      Ô Zeka, que honra! Esse texto já não é um comentário, é uma TEZE, em que as catarse chegou à máxima síntese hegeliana! Produção de MESTRE!

      Obrigado! Obrigado!

      ("Folha de bananeira"?  Muito tropical!!!!!!!!!!!!!! Bem, como se diz, DeuZ é brasileiro - então Adão também deve sê-lo! Selou de vez!  RzRzRz)

  • Parabéns, poeta amigo, poema lindo, sensual, primoroso, adorei. Sou seu fã. Você sabe "brincar com ás palavras" e torná-las mais belas, meus sinceros aplausos. Abraços, paz e Luz!!!

    • Grato, Ilário! Recebo com muita satisfação seu comentário, pois você é expert em ajeitar as palavras em sonetos! Um abraço!

  • Magnificamente belo! Um encanto de poema que alegra os olhos e faz o sangue correr mais forte nas veias!
    Meus aplausos!

    : )
    • Grato, Elaine! Uma alegria rever você aqui: sua visita e comentário, uma satisfação imensa!

  • ...divino poeta, sensualidade, afã, encantamento...,
    embalados por notas musicais extasiantes! Muito lindo..., perfumado & táctil. Aplausos Poéticos, Zana
    • Grato, Zana! Receber elogios de quem tem reconhecido talento, como você, é muito gratificante!

This reply was deleted.
CPP