Poesias

APRENDI...

Imagem relacionada

APRENDI...

Aprendi que por mais que o vento dê opostamente às águas do rio, elas seguirão sempre em sua correnteza, para um rio ainda maior, e esse, para o mar;

Aprendi que amor, amizade nos escolhem independente da distância geográfica, da cor da pele, da idade, do gênero, do status social... Amor e amizade estão acima do bem e do mal, porque são jóias do maravilhoso tesouro de DEUS, que ELE nos concede para ver-nos felizes;

Aprendi, que por mais que se queria manter alguém cativo junto a nós, ninguém é de ninguém, e como o vento que ora sopra aqui, ora acolá, assim são as pessoas e cabe a nós, parafraseando  Saint-Exupèry, sermos eternamente responsáveis por aquilo ou aquele(a) que [julgamos] cativar;

Aprendi que a felicidade se conquista aos bocadinhos, ... em um gesto de carinho, em uma reconciliação, em um momento de brincadeira, ou nas horas em que simplesmente apenas se quer ouvir o silêncio ao lado de quem se ama;

Aprendi que entre o 'sim' e o 'não', existem possibilidades, e que a inflexão, a rigidez de espírito nos faz solitários e infelizes, porque ninguém é feliz sem ter com quem compartilhar essa felicidade e os intransigentes, estão sempre sozinhos dentro de suas verdades;

Aprendi que, por mais que se queira mudar o mundo, não adianta forçar a barra, se não começar a mudança por nós primeiro,... mudando a visão, as atitudes, a consciência;

Aprendi que o tempo é efêmero, que o amanhã não nos pertence e que, por essa razão, eu tenho urgência de ser, ter e fazer tudo hoje, sem deixar para depois: hoje eu quero amar intensamente, hoje eu quero perdoar quem me ofende, hoje quero pedir também perdão, hoje quero ser tudo o que eu não fui ontem por medo de me arriscar, por me preocupar com o julgamento alheio, por um mecanismo de autodefesa e autopreservação;

Aprendi tantas coisas, e talvez a mais importante de todas é que eu não sou um ser pronto e acabado, estou e estarei sempre em transformação, em renovação, em (re)construção... Então, não me cobre, o mundo, pelo que eu fui ontem, mas pelo que sou nessa fração de segundo, pois daqui à pouco, eu não serei mais.

Minhas aprendizagens são tudo e nada ao mesmo tempo... E eu aprendi a usar a para expressar meus pensamentos, meus desejos e emoções... Nem sempre vou agradar a quem me ler, mas uma barreira, um obstáculo, uma muralha, foram transpostos a cada vez em que compus ou componho um poema ou um texto em prosa.
Minha escrita não é para agradar o mundo, mas para libertar e dar asas ao colibri que se esconde dentro de mim, podendo ou não aprazar a quem por ventura me ler...

E eu quero apenas dizer uma coisa, não esperem de mim mais do que eu posso oferecer, embora eu me dê, sempre,  por inteira...


Irene Cristina dos Santos Costa - Nina Costa, 23/12/2011

 
Enviar-me um email quando as pessoas comentarem –

Nina

Para adicionar comentários, você deve ser membro de Casa dos Poetas e da Poesia.

Join Casa dos Poetas e da Poesia

Comentários

  • Qualquer um que tiver chegado ao autoconhecimento a ponto de aprender tanto, certamente, é um ser iluminado. Lindo, Nina! Bjs

    • Não é isso, amiga. É apenas alguém que tem apanhado muito da vida e aprendido à força das circunstâncias;
      O sofrimento também ensina.

      Beijos!

      Nina

  • As nossas vidas elas estão sempre em mutação e em aprendizagem, pois tudo aprendemos aprendendo. O silêncio e a observação são dois elementos que enreguem os momentos do equilíbrio em dodos os sentidos do conhecimentos. Aprender cada vez mais é abrir nos horizontes.

    poema fantástico

    • Verdade. Aprender é abrir horizontes.

      Faz parte da vida. Enquanto estamos vivos, estamos em processo de aprendizagem.

      Beijos!

      Nina

  • A vida realmente é um aprendizado, e cada um aprende com cada um de nós mesmos!...

    Certeza tenha, cara poetisa...que com seu "APRENDI"; nós aprendemos também!...

    APLAUSOS. 

    • Obrigada, amigo querido!

      É sempre bom aprendermos algo.

      Beijos!

      Nina

This reply was deleted.
CPP