Inspirações

Eterna Mágoa

Eterna mágoa

 

Hei de ser a serpente que tu temes à peçonha.

Hei de acompanhar-te feito a sombra que te segue na estrada.

Sou a dor que deixas tu que já não sonhas, merencório como a lua que se vai na madrugada.

Mostrarei-te o sofrimento e o pranto, onde apodrece sonhos e floresce as ilusões...

Irás andar ouvindo o canto da maldade que se tem nos corações.

Eterna mágoa do amor eterno brado que te proclamas, noctâmbula cruel, algoz da matutina...

Crença que acende esta chama, e que todos os males abomina.

Dolorosa feito a ave que vem a lhe trazer, no presente, idos tempos que não morre...

Até ver em teu rosto aparecer, este líquido que dos olhos lhe escorre.

 

Thiago Rodrigues 

Enviar-me um email quando as pessoas comentarem –

Para adicionar comentários, você deve ser membro de Casa dos Poetas e da Poesia.

Join Casa dos Poetas e da Poesia

Comentários

  • Adm

    Belíssimo poema.

    Lindo teu momento de composição.

    Parabéns, Thiago.

This reply was deleted.
CPP