Poesias

HÁ! MEU DEUS!

Ah! Meu Deus!
Aporte nos portos dessas mentes doentias,
Atinja fundo esses insensatos corações,
Ávidos por infinitas orações.
 
Se esse poder pudesse assim florescer,
No seio dessa humanidade e infinitamente crescer,
Seria o fim dessa longa agonia,
Seria o começo de um novo dia.
 
Seria bom se o milagre dessa imaginação,
Pudesse assim salvar a humanidade dessa inundação,
Seria o fim dessa maldita maldição,
Seria o começo de uma sadia geração.
 
N.A: Minha homenagem póstuma a classe política.
 
Ricardo Sales.

Enviar-me um email quando as pessoas comentarem –

Ricardo Sales

Para adicionar comentários, você deve ser membro de Casa dos Poetas e da Poesia.

Join Casa dos Poetas e da Poesia

Comentários

  • Magnifico poeta

    Meus aplausos por tão belissimo texto

    FC

    • Obrigado Poeta Frederico, é sempre um prazer tê-lo como visita. Um abraço.

  • Amém?
    Amém.
    Poeta é assim: transforma riso, dor, consternação... em poesia que encantam a alma e fazem refletir os poensamentos.
    Só me resta aplaudir! De pé.

    Abraços poeta.

    : )
    • Grato Poetisa Elaine pelo carinhoso comentário. Um grande abraço.

  • Os abutres da política não se preocupam com o bem-estar da nossa nação! Eles erguem seus impérios passando para população a falsa ideia de um Brasil sem mazelas!!

    • Caro Poeta Sam, o caminho certo é o voto e saber em quem votar. Não precisamos de políticos profissionais e corruptos, mais de políticos que queiram legislar em prol do povo e da nação. Obrigado pela leitura. Um forte abraço.

  • Uauuuu!
    Sabe poeta, gosto (sempre gostei) de política, no sentido pleno e altruísta da palavra. Mas o vale de lama fétida e podre da política nacional (cerceada pela mais vil e inescrupulosa politicagem e corrupção) deixam-me a cada dia mais decepcionada e enojada de tudo.
    Mas seu poema é nossa voz.
    Bjs!
    • Muito obrigado Poetisa Nina Costa. Isto é apenas um grão de areia num mar de corrupção e lama. Mais mesmo assim exponho meu protesto e indignação. Abraços poéticos.

  •  Primoroso, como diz o Ilário.

    • Gracias Poetisa Margarida, sua presença muito me envaidece. Um grande abraço.

This reply was deleted.
CPP