Poesias

Muitos mares por cruzar

Busquei a noite que se pintou da mais
Fiel negrura algemada entre todas as solidões
Espreitando pela fissura do tempo que geme afoito
Na infléxil ilusão desta vida onde impreterivelmente me acoito

Muitos mares deste mundo ainda me restam cruzar
Multiplicando quantas tantas horas perplexas se abeirando
Das margens da minha solidão bem urdida e tão complexa

Do passado inventariei todos os beijos que subsistem no
Palato do tempo alimentando o design de muitas, tantas ilusões
Penduradas no cavalete da memória quase unilateral, tão servil e medieval

Na cachoeira dos dias navego num embebedante e nostálgico
Momento de prazer viral sempre mais nevrálgico, gizando cada
Hora que fenece numa histeria, analógica, ilusionista e insaciável

Frederico de Castro

Enviar-me um email quando as pessoas comentarem –

Frederico de Castro

Para adicionar comentários, você deve ser membro de Casa dos Poetas e da Poesia.

Join Casa dos Poetas e da Poesia

Comentários

  • Não há um poema seu que eu não o coloque em um lugar de destaque.

    Admiro muito a maneira refinada como escreve.

    Lembra-me os poetas de outrora.

  • Poeta Frederico poesia

    que encanta que o lê abraço 

  • Aplausos, aplausos e aplausos!!! Belíssima obra Poeta Frederico. Abraços.

    • Obrigado caro amigo pela visita e gentil mensagem

      FC

  • Um poema que molham os pensamentos onde a solidão esta dentro de um apaixonado coração

    • Grato JCarlos pelas suas constantes palavras de carinho

      FC

  • Parabéns, poeta! Gostou muito do seu poetar. Parabéns!

    • Grato pela visita Jilmar

      Bem hajas

      FC

  • Na cachoeira dos dias navego num embebedante e nostálgico
    "Momento de prazer viral sempre mais nevrálgico, gizando cada
    Hora que fenece numa histeria, analógica, ilusionista e insaciável"

    Maravilhooosooooo!

    Sorvi cada palavra!

    Bjssssss

    • Obrigado Ciducha pela carinhosa mensagem

      Votos de dia feliz

      FC

This reply was deleted.
CPP