Poesias

O poeta e a estrada (Zk Feliz) / Atravessamentos (E. Rofatto)

Zeca-Feliz Edvaldo Rofatto

*** *** *** ***
O Poeta e a Estrada
*** * ***
A Rua parece um vazio Deserto
Mas nela segue o velho Poeta
sem ter parece alguém por perto

Dos Altos o observa no fin da Rua
com sua tênue luz amarelada
sonhando coo Amor a llena Lua

Sem saber para onde esta indo
segue colada ao Viejo Poeta
a sua sombra quieta o seguindo

Não se ouve sequer um gemido
e o Poeta chega ao fin da Rua
qual un triste Poema não lido

Começa então caminhar n'Estrada
que cumprimenta o Poeta coo olhar
Mas... Este não lhe responde nada

De repente, a Lua se vê encoberta
E o Poeta segue agora às escuras
de corpo fechado e a mente aberta

O Silencio diz para o Poeta somente:
- Não sei dizer sobre as tuas Poesias,
Mas... Poeta - Tu és um Transparente?

O Poeta nesse instante cruza um Portal
onde jaz no alto uma Placa ilegível...
- Será a entrada do Bem ou do Mal??

Ao Poeta - Ah - importa mui pouco
Diz a Solidão que ora o acompanha
Comigo o Poeta está ficando louco!!

Dorme a Noite e a Madrugada - É dia
e o Poeta segue ainda vivo (pensa)
Ou então: - Viva é só a sua Poesia!!!
*** * ***
211017 - 18:03PMBR - gaDs
*** *** *** ***
E assim vai Kaminhando o Poeta

*** *** *** ***
Atravessamentos
*** * ***
Teu destino é que vem a ti, poeta,
Em tua missão de ser, mais que lua,
Sol de quem da beleza é exegeta.

Se pensas que vai, é que a estrada vem,
Sozinha, desde o princípio até o fim,
Para encontrá-lo sozinho também.

Como se fossem velhos namorados,
Ela não diz nada, tu não perguntas.
Os dois dão-se como predestinados.

A cada passo, a estrada te invade,
E tu a cruzas em múltipla esquina.
Os dois atravessados de saudade.

Mas ela sem sair de ti prossegue,
E, sendo tu a própria estrada, avanças
Pra ir mais fundo no íntimo albergue.

Não importa se é do Bem ou do Mal,
Só conta a coragem da travessia
De verso a verso passando o Portal.

Os passos te entram, te atravessam,
Pensavas que a andança era fora,
Mas adentravas o que as mãos versam.

Por saberes que a vida é uma estrada
Estende a palavra sobre o papel,
E vai de volta ao tudo que é nada.

(E. Rofatto)

 

 

Enviar-me um email quando as pessoas comentarem –

E. Rofatto

Para adicionar comentários, você deve ser membro de Casa dos Poetas e da Poesia.

Join Casa dos Poetas e da Poesia

Comentários

  • Uma verdadeira maravilha

  • Estou afortunado por saber que ainda existem poetas assim como vocês com tanta sensibilidade para escrever. Quem sabe faz, quem não sabe aplaudir. Por isso, estou aplaudindo ambos os poetas!

  • Bravo, poetas...

    Volto a lîr...

    Parabéns!

    Felicidades!

    Beijos

  • Que lindas obras...parabéns aos dois.

  • Adm

    Eu já li as duas obras. Ambas são de arrepiar a pele. Duas obras em perfeita e mágica sintonia. Há tanto sobre a existência para se refletir nestes dois poemas.

    A sabedoria que se acumula sobre a experiência é um legado intransferível que cada ser humano acumula ao longo da travessia desta estrada.

    Uns chegam por este solo de chão batido, ainda em meio às vozes de sua descendência, outros são largados no meio da estrada e são obrigados a terminarem a travessia ao lado perscrutando o silêncio dos seus silêncios...mas, o poeta, "estende a palavra sobre o papel" e eterniza a jornada, seus saberes e experiências, seu olhar arguto sobre tudo o que ver.

    Lindo dueto.

    Minhas reverências aos poetas que estimo e admiro.

    Destacado!

    • Zeka, meu amigo, 

      Pensando em você, gratidão é sinônimo de redundância,

      em vista das tantas vezes que a devo manifestar.

      Obrigado por tudo!

      Até a música, que é tão importante para mim, esta aqui, você a trouxe aqui!

      Mais uma vez, obrigado por tudo!

This reply was deleted.
CPP