Inspirações

O Sino

O Sino

 

Ria este riso de tantos dias,

com brilhantes olhos vermelhos;

Se esta alegria que irradias

fosse apenas um instante, pesaria

estanque e traria...ou melhor, e

trouxe ao longe a compossessão

de duas almas em um só encontro

do amor e da paixão.

E neste dia que ilumina o amor

e seu enredo, num mar de flashes negros,

luz na cor âmbar e gris.  Gemidos

sensuais, parecendo de brinquedo

entre as nuvens macias de algodão

nuvens na cor do giz.

Ria enquanto é dia, enquanto é dia

um sino faz barulho, mas quando o dia

vai morrendo e vem chegando o escuro

ele emudece e até o sino fica mudo.

Porque não brilha a lua e como se ela

soubesse que nem comporta o mundo

e um silencio agudo no espaço

de um único segundo fez do sino tão

calado, grilhões de ferro e aço e

um coração encarcerado.

ps.: Faz tempo que sinto você penetrar

nos meus pensamentos

com seus badalos agourentos.

 

Alexandre

 

 

Enviar-me um e-mail quando as pessoas deixarem os seus comentários –

Alexandre

Para adicionar comentários, você deve ser membro de Casa dos Poetas e da Poesia.

Join Casa dos Poetas e da Poesia

Comentários

This reply was deleted.
CPP