Inspirações

Resiliência

Resiliência

Rasgo uma folha do meu dicionário
Macero toda a página sem linha
Aquela que não quis deixar no diário
Nem guardá-la na minha escrivaninha.

Eu me agarro ao fio de um pensamento
Construo, assim, um mundo, um projeto
Deixo para trás mágoa e sentimento
A voar pelo céu num rumo incerto.

A vida é restaurada sem agonia
Jogo fora pedaço de papel
Que outrora era marca bem dorida

Impulsiono voo numa magia
Diluo todo o ódio que era fel
E a paz floresce em mim, bendigo a vida.

Mena Azevedo

Enviar-me um e-mail quando as pessoas deixarem os seus comentários –

Mena Azevedo

Para adicionar comentários, você deve ser membro de Casa dos Poetas e da Poesia.

Join Casa dos Poetas e da Poesia

Comentários

  • Muito obrigada, Eduardo! Bjs.

  • Sempre adiante e com fé amiga Mena! Parabéns! A paz.
  • Muito obrigada, Ricardo! Bjs.

  • Muito obrigada, poeta Edvaldo! Gostei muito das suas considerações! Bjs.

  • Obrigada, Marso pelo comentário e linda formatação! Bjs.

  • Querida Gláucia, muito grata pela bondade e gentileza 

    do seu comentário! Boa noite. Bjs.

  • Muito obrigada, amiga Eudália! Bjs.

  • Hilário, querido poeta, muito obrigada pela visita e

    comentário tão gentis. Boa noite. Bjs.

  • Muito obrigada, querida Cristina! Saudades de você! Bjs.

  • Uau!!! Que beleza de soneto muito bem escrito, diluindo assim todo teu potencial de extremo lirismo. Um abraço Poetisa Mena Azevedo.

This reply was deleted.
CPP