Inspirações

VOO SOBRE O ABISMO...

Resultado de imagem para voo sobre o abismo

 

VOO SOBRE O ABISMO...

         

          Subíamos de mãos dadas a íngreme montanha. Eu, inocente criança, não sabia onde aquelas mãos

ávidas a me segurar para não cair, me levavam... mas eu seguia confiante entre pedras, cascalhos e uma

relva rasteira e úmida de orvalho. O vento batendo no rosto e o sol aquecendo a alma.

          _ Onde vamos, papai? Perguntei-lhe curiosa.

          _ Lá em cima, minha filha, no alto ... Respondeu-me misterioso.

          Silenciei e procurei aproveitar aquele passeio inusitado que nos levava ao cume do monte...

          _Chegamos?

          _Sim, minha filha... daqui agora eu sigo sozinho, foi muito bom dispor de sua companhia até aqui, lhe

amo...Disse meu pai emocionado,... esticou as asas e voou sobre o abismo...

          Com gritos entrecortados de soluços eu pedia:

          _ Me deixa ir com o senhor? Me deixa, pai?

          Ele dizia:

          _Daqui, filhinha, eu sigo viagem sozinho...

           Entre soluços e lágrimas e em sobressalto acordei com aquela nítida imagem de meu pai pairando

sobre o abismo e eu, ainda sem asas, não podendo acompanhá-lo neste voo. Foi assim, que em sonho,

meu velho pai veio me avisar que ia embora, me ensinando que a morte não é o fim, mas o começo de uma

nova história. Até o cume do monte ele me levou pela mão, ajudou-me a desviar das pedras e cascalhos,

secou o suor do meu rosto e me apoiou. Mas ao chegar no cume do monte e içar voo, ele foi e eu fiquei.     

          Porque cada um tem seu tempo e seu momento.

          Há pessoas que se desesperam quando lhes advêm uma doença grave, se amofinam, entram em

depressão, porque lhes falta essa noção sublime de que a vida não acaba com o fim da matéria... quando o

corpo fenece, a alma voa sobre o abismo e sobe ao trono de DEUS onde descansará em repouso sagrado.

          O corpo, a limitação da alma, vai ser exaurido na caminhada até o cume do monte para que a alma se

fortaleça e as suas asas cresçam para poder voar até o céu. No caminho, muitos serão os percalços em

forma de cascalhos e pedras; o sol se tornará, em algum momento, inclemente, e haverá outros tantos

momentos em que se queira desistir, mas o Pai sempre estará presente apoiando com suas mãos ávidas e

seu amor, e ainda que queiramos ir antes da hora, antes de estarmos prontos para voar, Ele não permite,

porque nos quer pairando sobre o grande infinito, não estatelados no chão...

          Hoje compreendo exatamente o significado daquele sonho e sei que há tempo para tudo nessa nossa

existência, tempo para sorrir, tempo para chorar, para amar e tempo para desamar, tempo para viver e

tempo para morrer, e seja vivendo ou morrendo, nosso destino é o alto e quando chegamos ao cume do

monte e não há mais para onde subir, nossas asas fortalecidas por DEUS nos permitem voar sobre o

grande abismo ganhando o céu. Esse grande abismo, a morte, não é o fim, é o começo...

                             

                               By Nina Costa, in 10/01/2011 

Enviar-me um e-mail quando as pessoas deixarem os seus comentários –

Nina Costa

Para adicionar comentários, você deve ser membro de Casa dos Poetas e da Poesia.

Join Casa dos Poetas e da Poesia

Comentários

  • Que belissima cronica amiga querida!

    Eu amei,Nina e aplaudo de pé!

    Bjssssssss

    • Fico feliz que tenha gostado, amiga!

      Esta crônica relata um fato real. Antes de tocar os amigos leitores, tocou a mim mesma. Escrever foi uma catarse, reler também.

      Beijos!

      Nina

  • Achei tua crônica, lindíssima, cheia de reflexões sobre a existência, sobre este curto caminho que cada ser humano tem neste jardim, chamado Terra.

    Parabéns pela lindeza desta composição que ao ser lida, emociona.

     

    • Obrigada, Edith! Esse texto relata um fato real. Meu pai, antes de ir para um outro plano, veio me avisar que ia, da forma como eu compreenderia. Me mostrou em sonho.

      Ele estava hospitalizado e na noite de sua morte eu tive este sonho. Quando a notícia chegou, eu já  estava aos prantos, chorando demais e não havia como alguém consolar aquela criança de onze anos cujo pai voara sobre o abismo...

      Somente dez anos depois que eu consegui escrever sobre este sonho, quando estava passando pelo câncer e achei que era hora de também voar sobre o abismo. Mas não foi.

      Obrigada por ler e apreciar! Este é um texto de reflexão sim, mas é também um  texto de amor a um pai terreno que eu perdi muito cedo, e de amor ainda maior a um PAI CELESTE que continua me conduzindo ao cume do monte...

      Beijos!

      Nina

    • Obrigada, Marso! SUa presença, seu carinho e atenção em minhas postagens muito me alegram e me honram!

      Beijos!

      Nina

This reply was deleted.
CPP