Poesias

REALIDADE

Homem suposto, sociedade entendida,

entediada, confortada pela crítica das medidas pretendidas,

ideologia básica, filosofias de vida.

Rejeição quase unânime

à política pusilânime

que se espalha, equânime.

Não há Apolos nem Atlas,

apenas trombeteiros de ideologias baratas e

um sacerdote de bravatas, cheio de cachaça.

O homem virtual esconde a miséria,

manifesta-se na Rede que considera séria,

fantasia status, palavras inúteis, prosopopeias.

 

                                                                                                          Paolo Lim

                           

Enviar-me um e-mail quando as pessoas deixarem os seus comentários –

Para adicionar comentários, você deve ser membro de Casa dos Poetas e da Poesia.

Join Casa dos Poetas e da Poesia

Comentários

  • Gestores Adm

    Uauuuu, que espetáculo de poema. O homem virtual acha que por ele esta atrás de uma tela ele pode tudo, então é tudo, rouba inventa, planeja, usurpa. A mídia exalta a os padrões de beleza, inventa modismos, etc. Parabéns Paolo.

    cppDestacadAMa570x3182301.png

    • Edith Lobato: Grato pelo "destaque" e seu precioso comentário. Bjs. Paolo

  • This reply was deleted.
    • Muito obrigado Hélio José da Silva. Sua presença e comentário dá status a este breve desabafo. Abração ! Paolo.

  • DestacadoCPPPalcoNimargaDszzz1.jpg

This reply was deleted.
CPP