NU

 

Estava assim,  só corpo...

Inteiramente nu,

Uma friagem estranha

me rodeava

envolvia,

O frio e o medo...

Cabisbaixo,

Olhava o chão.

Como correr os olhos em derredor?

Onde estava? Como vim?

Por que? Minha roupa?

Casa? Família?

Amigos? Céu?

Estou sonhando?

Surtei?

Sem censura,

Defesa,

Direito,

Valor.

Comigo só:

Meu corpo, minha pele,

Olhos, boca, pernas, braços, cabelos,

Mãos pequenas para tanto defender,

Esconder, salvar.

Apavoro ante tal responsabilidade,

Suo, tremo, arrepio, sinto o  bater dos dentes...

Estendo o olhar, mais adiante,

Minha amada estende-me um roupão macio

Salvando-me deste pesadelo!

Maria Helena da Silva Campos Cruz

Para adicionar comentários, você deve ser membro de Casa dos Poetas e da Poesia.

Join Casa dos Poetas e da Poesia

Enviar-me um email quando as pessoas responderem –

Respostas

  • Mui belo!! Parabéns !! 

  • Adm

    Nossa, Maria Helena, que espetáculo de interpretação.

    Reverências!

    Parabéns!

This reply was deleted.
CPP