O Poeta e a sombra de seus passos

À sombra de seus passos

Caminha o homem em austera figura

Solidão imponente ou cansaço

Aqui se tornam versos de uma procura

 

E o poeta sonhador que imagina imaginar adiante

Acolhe para si, em sentimento de tristura

A imensidão gélida desse taciturno andante

Como se fora a sua própria desventura

 

E seguindo a busca que insinua seu pensamento

Sem se importar com a relva, com as nuvens ou com a lua

Tenta ir além das possibilidades desse estático fragmento

De ser um, em garboso fingimento, a apoiar-se em sua rima crua

Suzete Palitos - 25/10/2016

Para adicionar comentários, você deve ser membro de Casa dos Poetas e da Poesia.

Join Casa dos Poetas e da Poesia

Enviar-me um email quando as pessoas responderem –

Respostas

This reply was deleted.
CPP