SENILIDADE

3665949368?profile=RESIZE_710x

SENILIDADE

 

Outrora, sol ensejando luzes sobre  as quimeras

Desabrochando magmas,  genes falos de proteus

No solo fértil e acolhedor de trépidas eras

Como sementes de fulgor no ventre teu...

Mas as idades levam tudo com o tempo

Ao nebuloso sótão da lembrança e esquecimento

Não mais criança, não mais fluência, só solidão

Agora nuvem de um opaco coração

Tornei-me oblíquo, sequioso de momentos

Triste querela de um tempo esquecido, 

De idos ventos, sentimentos, paixão...

Rego agora, entre nuvens da memória

Vestígios falhos de história e saudade

Nas diminutas atmosferas da existência...

 

By Nina Costa, in 07/11/2019. Mimoso do Sul, Espírito Santo, Brasil

Para adicionar comentários, você deve ser membro de Casa dos Poetas e da Poesia.

Join Casa dos Poetas e da Poesia

Enviar-me um email quando as pessoas responderem –

Respostas

  • Gestores

    """

    Rego agora, entre nuvens da memória

    Vestígios falhos de história e saudade """

    Amada meNINA... - Tua inspiração nos eleva e enleva até esse mar de Nuvens...

    Do mesmo modo que uma vez nele, nos sentimos etéreos!!!

    NOSSOS (e meus) CALOROSOS APLAUSOS!!!

    gaDs

    Nas diminutas atmosferas da existência...

    • Obrigada,  amigo ZKFeliz!

      Grata pelo carinhoso comentário!

      Beijos!

      Nina

  • BELÍSSIMA POESIA. MUITO REFLEXIVA. APLAUSOS MIL

    • Valeu, amiga!

      Grata por apreciar! Fico realmente feliz que tenha gostado. 

      Beijos!

      Nina

  • Gestores

    3641407725?profile=RESIZE_710x

    • Obrigada amiga Marso!

      Beijos!

      Nina

This reply was deleted.
CPP