TE TENHO DENTRO DO MEU ESPELHO

TE TENHO DENTRO DO MEU ESPELHO.

No meu reflexo triste do espelho vejo tua imagem,
meus olhos marejados miram tua aparição fantasmagórica
penso que poderia transpor para ir contigo nalguma viagem,
mas teus olhos estão estáticos tua boca está rígida e seca.
Não sei se estou sonhando por tanto te amar ou se és real,
meu mundo contigo foi como um conto de carochinha
foi um sonho perfeito compartilhando num mundo surreal
onde tudo era possível!
Tínhamos uma carruagem guiada por fadas
Um sapo transformado num galante cocheiro da realeza.
A lua espreitava nosso sonho nos dando noites estreladas,
hoje tenho-te numa imagem estática assombrando meu reflexo
me fazendo verter lágrimas de melancólica saudade.
Olho-me nesse espelho todos os dias na esperança de um sinal ....
Comigo tenho rosas vermelhas; idênticas as que me ofertavas,
os poemas que para mim escrevia soltos na mesinha para ler,
reler, e sonhar que os declamas para mim com tua voz acariciante.
Venho te ver dia após dia tentando desvanecer essa saudade que me afoga
nesse querer que me faz esquecer tua viagem sem volta.
Venho aqui para repetir para a imagem do meu inconsciente que jamais
esquecerei nossos curtos momentos vividos como um romance de amor.

Luly Diniz.
07/06/19.

Para adicionar comentários, você deve ser membro de Casa dos Poetas e da Poesia.

Join Casa dos Poetas e da Poesia

Enviar-me um email quando as pessoas responderem –

Respostas

  • Parabéns!!!!!

    Um  poema triste, mas,  belíssimo.

    Bjos

    • Boa noite Marcia, obrigada por vir ler e comentar, agradeço de coração,

      Um abraço poético no seu coração.

      Luly

      2950039765?profile=RESIZE_710x

  • Belíssima poesia, cara poetisa. Muito tristes lembranças. Aplausos mil

    • Obrigada Norma, prazer enorme ter seu comentário.

      Beijos no coração.

      Luly

  • Lindo poema em forma de conto, Luly! Parabéns!

    • Obrigada querida, você sempre gemtil comigo, 

      beijos nesse lindo coração poético.

      Luly

This reply was deleted.
CPP