4151674540?profile=RESIZE_710x3490296214?profile=RESIZE_710x

AS POSTAGENS DEVERÃO SER FEITAS DIRETO NOS COMENTÁRIOS,

NA JANELA ABAIXO,

COM POESIAS ALUSIVAS Á POESIA NO SEU DIA.

 .

BEM VINDOS TODOS OS PARTICIPANTES DESTE FÓRUM DE POESIA

CELEBRANDO JUNTOS ESTE DIA MUNDIAL DE POESIA EL 21/03/ DATA INSTAURADA PELA UNESCO.

NOS SEUS DISTINTOS ESTILOS: POEMA, POESIA, DÉCIMAS, AKROS, MERIDIANOS, OVILLEJOS, ETC.

PODEM PARTICIPAR COM MAIS DE UMA POESIA, EDITAS OU INÉDITAS,

DEVEREMOS MANTER A ORDEM DE FAZER SÓ NOS COMENTÁRIOS.

NÃO CRIAR NOVAS DISCUSSÕES NO GRUPO,

O FESTIVAL É PARTICIPATIVO, NÃO É CONCURSO,    NÃO HAVERÁ PREMIAÇÕES.

SERÁ EDITADO UM E-BOOK SE A PARTICIPAÇÃO E RAZOAVEL.

SERÁ PUBLICADO EM TODAS AS REDES E PELO SPONSOR

NO SEU PERIÓDICO DIGITAL - SICILNEWS.COM DE ROSS SALVAGGIO.

AGRADECENDO O DESENHO DO NOVO LOGO PELA SRA. CARINA IANNI.

ROSEMARIE PARRA - MARIA ROSA PARRA

CREADORA Y ORGANIZADORA DO VIII FESTIVAL VIRTUAL DE POESIA NO DIA MUNDIAL DA POESIA 21/03/2011

 

95474277?profile=RESIZE_710x

 3490296214?profile=RESIZE_710x

 

4161483775?profile=RESIZE_710x3490296214?profile=RESIZE_710x

4151693045?profile=RESIZE_710x3490296214?profile=RESIZE_710x

Para adicionar comentários, você deve ser membro de Casa dos Poetas e da Poesia.

Join Casa dos Poetas e da Poesia

Votos 2
Enviar-me um email quando as pessoas responderem –

Respostas

  • Gestores

    Poetizando

    Pensamentos que voam e viajam

    A observar o universo em solidão

    Ou talvez seja somente uma ilusão

    Dos olhos que quimeras buscam

    Criando poesias de suas mazelas

    E também de suas luxúrias.

    Paixões que trazem inspirações

    Acalentos e esperanças aos corações

    Que sempre poetizam o amor eterno

    Nas flores do caminho ou na lágrima do destino.

    A poesia vem de tudo!

    Do abstrato do cérebro ao concreto da alma.

     

    Maria Angélica de Oliveira

  • Gestores

    Sem poesia... sem encanto...

     

    O mundo sem poesia:

    é música sem acordes;

    é orquestra sem maestro;

    é cantar sem harmonia de voz;

    é alvorecer sem o sol a brilhar

    e chuva fina sem pingos à molhar;

    é janela fechada para a vida;

    é pássaros sem melodioso cantar;

    é caminhar sem destino certo;

    é sussurro pra quem não pode escutar;

    é vista do mar pra quem não pode enxergar;

    é coração frio, sem o calor do amor;

    é encontro que não deu certo, desencontrou;

    é beijo sem a maciez e o frescor;

    é anoitecer sem ter o sol a se por;

    é mundo sem arco-íris, sem cor...

    E é somente tu, Oh! Poesia maviosa:

    que podes usar a  paleta de cores e colorir,

    que a musica faz surgir com acordes juvenis,

    que ao maestro faz a musica surgir e fluir,

    que a voz melodiosa faz entoar lindos cantos de amor,

    que ao sol faz acordar ao alvorecer e

    tinge o céu de cores vivas ao anoitecer,

    que faz o surdo e o cego sentir a vibração dos sons

    e o barulho das ondas a quebrar na praia,

    que faz com que o coração tenha esperança

    e acredite que, se hoje não deu certo,

    sempre haverá o amanhã para que

    duas almas gêmeas se encontrem

    e façam acontecer o amor com toda

    a formosura e belíssimo esplendor...

    Assim és tu, Poesia bela e majestosa

    Que à alma encanta com mil versos

    De dor, de cura, de tristeza, de amor...

     

    Maria Angélica de Oliveira

  • Gestores

    Poetar

     

    Lançar aos ventos teus sonhos mais íntimos

    Anseios que atravessam a libido da mente

    E alcançam os recôncavos da pueril alma.

    .

    Em teus versos, os traços da linha da vida.

    .

    Sentimentos fingidos, ilusões cunhadas na realidade.

    .

    Rimar com maestria as diversas nuances

    Transfigurando a dor, emoldurando o amor

    Voar livre... liberta das amarras medíocres da existência.

    .

    Maria Angélica de Oliveira

  •  

    O AMOR É IMORTAL

    É hora de repensar na vida

    Nos valores e nas feridas

    É hora de poder aprender

    Tanta coisa, saber viver

    É hora de pedir perdão

    Fazer súplica e oração

    É hora de buscar a verdade

    Valores de fraternidade

    É hora de crescer com a dor

    Buscar deus nosso senhor

    É hora de aproveitar

    Para aprender amar

    É hora de construir

    Na alma jardim fluir

    É hora de colher paz

    No ódio que se desfaz

    É hora de se proteger

    De aprender a viver

    É hora de saber rezar

    Para o agora tdo curar

    É hora de curar feridas

    Ter mais amor na vida

    Na imortalidade da poesia

    Construindo tanta harmonia

    (Norma Silveira Moraes)

  • PARABENIZO EFUSIVAMENTE TODOS OS QUE ACEITARAM O DESAFIO E POR AQUI MOSTRARAM TODA A SUA COMPETÊNCIA E CRIATIVIDADE! NESSES DIAS DIFÍCEIS QUERO DESEJAR QUE FIQUEM COM MUITA PAZ, PROTEÇÃO DIVINA E, ACIMA DE TUDO, MUITA FÉ! PHILIA E NAMASTÊ!   

  • 4213363049?profile=RESIZE_710x

     

    21 de MARÇO dia da ÁRVORA

     

    A cada ano que passa menos floresta

    Com os incêndios e as mãos criminosas

    temos muito menos árvores e são elas que

     dão o oxigénio.

    Plante uma árvore e veja como é belo ver de perto

    esta crescer ao seu lado dia a dia...

     

     

    Luísa Zacarias

  • 4213544032?profile=RESIZE_930x

  • 4213170005?profile=RESIZE_710x

    És para sempre minha...

     

    És a flor que eu plantei  e colho com amor.

    És e serás a minha linda e bela flor.

    És regada todos os dias e anos.

    És a vida a debravar em minhas veias,

    És o Sol que alimenta a minha alma!

    És o sal que tempera minhas refeições,

    És a vida que cresce dentro de mim a salivar!

    És e serás para sempre minha...

    Minha flor em POESIA!

     

    * * * * * Luísa Zacarias * * * * *

  • Bocejos Oficiais

     

    Diante do poeta

    O governo boceja

    Aniquila sua obra

    Na indiferença oficial.

    O boi rumina

    A poesia do sal

    Que, na seca,

    Engorda os bolsos

    Insalubres do capitalista.

    Oportunista, o sistema

    Condena artistas

    Aos obstáculos do beija-mãos

    Encerrando em cárceres privados

    De arquivos mortos

    A arte abortada dos becos,

    Esquartejadas no muro

    Com ficha na polícia.

    Um poeta que se cala à força

    É porta aberta

    À perpetuação do peso,

    Do grilhão

    E do medo!

This reply was deleted.
CPP